Aṅguttara Nikāya 4.159

Bhikkhuni Sutta

A Monja

Ouvi que em certa ocasião o Venerável Ānanda estava em Kosambi, no Parque de Ghosita. Então uma certa bhikkhuni disse a um certo homem, “Vá, meu bom homem, para o meu senhor Ānanda e preste uma homenagem em meu nome com a sua cabeça aos pés dele e lhe diga, ‘A bhikkhuni com nome tal, venerável senhor, está enferma, com dores, gravemente doente. Ela homenageia o seu senhor Ānanda com a cabeça aos seus pés e diz, “Seria bom se o meu senhor Ānanda viesse ao alojamento das bhikkhunis, para visitar essa bhikkhuni por compaixão.”’”

Respondendo, “Sim, minha senhora” o homem então se aproximou do Ven. Ānanda e, chegando, depois de cumprimentá-lo, sentou a um lado e disse para o Ven. Ānanda, ‘A bhikkhuni com nome tal, venerável senhor, está enferma, com dores, gravemente doente. Ela homenageia o seu senhor Ānanda com a cabeça aos seus pés e diz, “Seria bom se o meu senhor Ānanda viesse ao alojamento das bhikkhunis, para visitar essa bhikkhuni por compaixão.”’

O Ven. Ānanda concordou em silêncio.

Assim, ao amanhecer, o Ven. Ānanda se vestiu e tomando a tigela e o manto externo ele se dirigiu ao alojamento das bhikkhunis. A bhikkhuni viu o Ven. Ānanda vindo à distância. Ao vê-lo ela se deitou na cama, cobrindo a cabeça.

Então o Ven. Ānanda foi até a bhikkhuni e sentou em um assento que havia sido preparado e disse para a bhikkhuni: “Este corpo, irmã, surge através da comida. E no entanto é contando com a comida que a comida deve ser abandonada.

“Este corpo surge através do desejo. E no entanto é contando com o desejo que o desejo deve ser abandonado.

“Este corpo surge através da presunção. E no entanto é contando com a presunção que a presunção deve ser abandonada.

“Este corpo surge através da relação sexual. E no entanto é contando com a relação sexual que a relação sexual deve ser abandonada. O Buda chama a relação sexual de romper a ponte.

“Este corpo, irmã, surge através da comida. E no entanto é contando com a comida que a comida deve ser abandonada. Assim foi dito. E em referência a que foi dito isso? É o caso, irmã, em que um bhikkhu, refletindo de maneira sábia: o alimento não deve ser tomado como forma de diversão ou para embriaguez, tampouco com o objetivo de embelezamento e para ser mais atraente porém, somente com o propósito de manter a resistência e continuidade desse corpo, como forma de dar um fim ao desconforto e para auxiliar a vida santa. Considerando: ‘Dessa forma darei um fim às antigas sensações (de fome) sem despertar novas sensações (de comida em excesso) e serei saudável e sem culpa e viverei em comodidade.’ Então, mais tarde, ele abandona a comida, tendo dependido da comida. ‘Este corpo, irmã, surge através da comida. E no entanto é contando com a comida que a comida deve ser abandonada.’ Assim foi dito. E em referência a isso é que foi dito.

“‘Este corpo surge através do desejo. E no entanto é contando com o desejo que o desejo deve ser abandonado. Assim foi dito. E em referência a que foi dito isso? É o caso, irmã em que um bhikkhu, ouve, ‘O bhikkhu com o nome tal, dizem, eliminou as impurezas mentais (asava), e permanece em um estado livre de impurezas com a libertação da mente e a libertação através da sabedoria, tendo conhecido e manifestado isso para si mesmo no aqui e agora’. O pensamento lhe ocorre, ‘Espero que eu, também, irei—eliminar as impurezas—permanecendo em um estado livre de impurezas com a libertação da mente e a libertação através da sabedoria, tendo conhecido e manifestado isso para mim mesmo no aqui e agora.’ Então, mais tarde, ele abandona o desejo, tendo dependido do desejo. ‘Este corpo surge através do desejo. E no entanto é contando com o desejo que o desejo deve ser abandonado.’ Assim foi dito. E em referência a isso é que foi dito.

“‘Este corpo surge através da presunção. E no entanto é contando com a presunção que a presunção deve ser abandonada.’ Assim foi dito. E em referência a o que foi dito isso? É o caso, irmã em que um bhikkhu ouve ‘O bhikkhu com o nome tal, dizem, eliminou as impurezas mentais (asava), e permanece em um estado livre de impurezas com a libertação da mente e a libertação através da sabedoria, tendo conhecido e manifestado isso para si mesmo no aqui e agora’. O pensamento lhe ocorre, ‘O bhikkhu com o nome tal, dizem, eliminou as impurezas mentais (asava), e permanece em um estado livre de impurezas com a libertação da mente e a libertação através da sabedoria, tendo conhecido e manifestado isso para si mesmo no aqui e agora. Então por que não eu?’ Então, mais tarde, ele abandona a presunção, tendo dependido da presunção. ‘Este corpo surge através da presunção. E no entanto é contando com a presunção que a presunção deve ser abandonada.’ Assim foi dito. E em referência a isso é que foi dito

“Este corpo surge através da relação sexual. A relação sexual deve ser abandonada. O Buda chama a relação sexual de romper a ponte.”

Então a bhikkhuni—levantando-se da sua cama, arrumando o seu manto superior sobre um ombro e curvando-se com a sua cabeça aos pés do Ven. Ānanda—disse, “Uma transgressão foi cometida por mim, venerável senhor, ao ter sido tão tola, tão atrapalhada e tão inábil em agir dessa forma. Possa meu senhor Ānanda por favor aceitar esta confissão da minha transgressão como tal, de forma eu possa me conter no futuro.”

“Sim, irmã, você cometeu uma transgressão, ao ter sido tão tola, tão atrapalhada e tão inábil em agir dessa forma. Porém como você vê a sua transgressão dessa forma e faz a correção de acordo com o Dhamma, nós aceitamos a sua confissão. Pois é motivo de crescimento no Dhamma e Disciplina dos nobres quando, vendo uma transgressão como tal, a pessoa faz correções de acordo com o Dhamma e pratica a contenção no futuro.”

Isso foi o que o Ven. Ānanda disse. A bhukkhuni ficou satisfeita e contente com as palavras do Ven. Ānanda.