Aṅguttara Nikāya 5.200

Nissaraniya Sutta

Escapatória

“Bhikkhus, há esses cinco elementos para escapar. Quais cinco?

“Há o caso em que a mente de um bhikkhu ao se ocupar com os prazeres sensuais, não salta sobre os prazeres sensuais, não ganha confiança, firmeza, ou a libertação nos prazeres sensuais. Mas ao se ocupar com a renúncia, a mente dele salta sobre a renúncia, ganha confiança, firmeza, e a libertação na renúncia. Quando a mente dele está bem dirigida, bem desenvolvida, elevada acima da sensualidade, libertada dela e desunida dos prazeres sensuais, então, qualquer tipo de impurezas, tormentos, febres que possam surgir na dependência da sensualidade, ele está libertado disso. Ele não experimenta essa sensação. Isso é chamado a escapatória dos prazeres sensuais.

“Além disso, há o caso em que a mente de um bhikkhu ao se ocupar com a má vontade, não salta sobre a má vontade, não ganha confiança, firmeza, ou a libertação na má vontade. Mas ao se ocupar com a não má vontade, a mente dele salta sobre a não má vontade, ganha confiança, firmeza, e a libertação na não má vontade. Quando a mente dele está bem dirigida, bem desenvolvida, elevada acima da má vontade, libertada dela e desunida da má vontade, então, qualquer tipo de impurezas, tormentos, febres que possam surgir na dependência da má vontade, ele está libertado disso. Ele não experimenta essa sensação. Isso é chamado a escapatória da má vontade.

“Além disso, há o caso em que a mente de um bhikkhu ao se ocupar com a crueldade, não salta sobre a crueldade, não ganha confiança, firmeza, ou a libertação na crueldade. Mas ao se ocupar com a não crueldade, a mente dele salta sobre a não crueldade, ganha confiança, firmeza, e a libertação na não crueldade. Quando a mente dele está bem dirigida, bem desenvolvida, elevada acima da crueldade, libertada dela e desunida da crueldade, então, qualquer tipo de impurezas, tormentos, febres que possam surgir na dependência da crueldade, ele está libertado disso. Ele não experimenta essa sensação. Isso é chamado a escapatória da crueldade.

“Além disso, há o caso em que a mente de um bhikkhu ao se ocupar com a forma, não salta sobre a forma, não ganha confiança, firmeza, ou a libertação na forma. Mas ao se ocupar com o sem forma, a mente dele salta sobre o sem forma, ganha confiança, firmeza, e a libertação no sem forma. Quando a mente dele está bem dirigida, bem desenvolvida, elevada acima da forma, libertada dela e desunida da forma, então, qualquer tipo de impurezas, tormentos, febres que possam surgir na dependência da forma, ele está libertado disso. Ele não experimenta essa sensação. Isso é chamado a escapatória da forma.

“Além disso, há o caso em que a mente de um bhikkhu ao se ocupar com a identidade, não salta sobre a identidade, não ganha confiança, firmeza, ou a libertação na identidade. Mas ao se ocupar com a não identidade, a mente dele salta sobre a não identidade, ganha confiança, firmeza, e a libertação na não identidade. Quando a mente dele está bem dirigida, bem desenvolvida, elevada acima da identidade, libertada dela e desunida da identidade, então, qualquer tipo de impurezas, tormentos, febres que possam surgir na dependência da identidade, ele está libertado disso. Ele não experimenta essa sensação. Isso é chamado a escapatória da identidade.

“Ele não é obcecado pelo deleite com a sensualidade. Ele não é obcecado pelo deleite com a má vontade. Ele não é obcecado pelo deleite com a crueldade. Ele não é obcecado pelo deleite com a forma. Ele não é obcecado pelo deleite com a identidade. Pela ausência de qualquer obsessão pela sensualidade, ausência de qualquer obsessão pela má vontade … crueldade … forma … identidade, ele é chamado de um bhikkhu sem apegos. Ele se separou do desejo, rompeu o grilhão e tendo corretamente penetrado a presunção deu um fim ao sofrimento.

“Esses, bhikkhus, são os cinco elementos para escapar.”