Aṅguttara Nikāya 8.35

Danupapatti Sutta

Renascimento por Conta da Generosidade

“Bhikkhus, há esses oito tipos de renascimento por conta da generosidade. Quais oito?

(1) “Aqui, alguém dá uma oferenda para um contemplativo ou brâmane: comida, bebida, roupas e veículos; grinaldas, perfumes e ungüentos; cama, moradia e lamparinas. Qualquer coisa que ele dê, ele espera algo em retorno. Ele vê khattiyas afluentes, brâmanes afluentes, chefes de família afluentes providos e dotados com os cinco elementos do prazer sensual desfrutando deles com prazer. Ele pensa: ‘Ah, com a dissolução do corpo, após a morte, que eu possa renascer na companhia de khattiyas afluentes, brâmanes afluentes, ou chefes de família afluentes!’ Ele marca a sua mente naquilo, ele fixa a sua mente naquilo, e desenvolve esse estado mental. Essa aspiração dele, resoluto naquilo que é inferior, sem desenvolver o superior, conduz ao renascimento ali. Com a dissolução do corpo, após a morte, ele renasce na companhia de khattiyas afluentes, brâmanes afluentes, ou chefes de família afluentes—e isso ocorre para quem é virtuoso, eu digo, não para quem é imoral. O desejo no coração de alguém que é virtuoso é satisfeito devido à sua pureza.

(2) “Outra pessoa dá uma oferenda para um contemplativo ou brâmane: comida, bebida, … e lamparinas. Qualquer coisa que ele dê, ele espera algo em retorno. Ele ouviu: ‘Os devas governados pelos quatro grandes reis possuem vida longa, são belos e desfrutam de grande felicidade.’ Ele pensa: ‘Ah, com a dissolução do corpo, após a morte, que eu possa renascer na companhia dos devas governados pelos quatro grandes reis!’ Ele marca a sua mente naquilo, ele fixa a sua mente naquilo, e desenvolve esse estado mental. Essa aspiração dele, resoluto naquilo que é inferior, sem desenvolver o superior, conduz ao renascimento ali. Com a dissolução do corpo, após a morte, ele renasce na companhia dos devas governados pelos quatro grandes reis—e isso ocorre para quem é virtuoso, eu digo, não para quem é imoral. O desejo no coração de alguém que é virtuoso é satisfeito devido à sua pureza.

(3)—(7) (2) “Outra pessoa dá uma oferenda para um contemplativo ou brâmane: comida, bebida, … e lamparinas. Qualquer coisa que ele dê, ele espera algo em retorno. Ele ouviu: ‘Os devas de Tavatimsa … os devas de Yama … os devas de Tusita … os devas que se deliciam com a criação … os devas que exercem poder sobre a criação de outros possuem vida longa, são belos e desfrutam de grande felicidade.’ Ele pensa: ‘Ah, com a dissolução do corpo, após a morte, que eu possa renascer na companhia dos devas que exercem poder sobre a criação de outros!’ Ele marca a sua mente naquilo, ele fixa a sua mente naquilo, e desenvolve esse estado mental. Essa aspiração dele, resoluto naquilo que é inferior, sem desenvolver o superior, conduz ao renascimento ali. Com a dissolução do corpo, após a morte, ele renasce na companhia dos devas que exercem poder sobre a criação de outros—e isso ocorre para quem é virtuoso, eu digo, não para quem é imoral. O desejo no coração de alguém que é virtuoso é satisfeito devido à sua pureza.

(8) “Outra pessoa dá uma oferenda para um contemplativo ou brâmane: comida, bebida, … e lamparinas. Qualquer coisa que ele dê, ele espera algo em retorno. Ele ouviu: ‘Os devas do cortejo de Brahma possuem vida longa, são belos e desfrutam de grande felicidade.’ Ele pensa: ‘Ah, com a dissolução do corpo, após a morte, que eu possa renascer na companhia dos devas do cortejo de Brahma!’ Ele marca a sua mente naquilo, ele fixa a sua mente naquilo, e desenvolve esse estado mental. Essa aspiração dele, resoluto naquilo que é inferior, sem desenvolver o superior, conduz ao renascimento ali. Com a dissolução do corpo, após a morte, ele renasce na companhia dos devas do cortejo de Brahma—e isso ocorre para quem é virtuoso, eu digo, não para quem é imoral; para alguém desprovido de cobiça, não para alguém cobiçoso. O desejo no coração de alguém que é virtuoso é satisfeito devido à sua pureza.

“Esses bhikkhus são os oito tipos de renascimento por conta da generosidade.”