Majjhima Nikāya 120

Saṅkhā­rupa­patti Sutta

Renascimento pela Aspiração

Assim ouvi. Em certa ocasião o Abençoado estava em Sāvatthī no Bosque de Jeta, no Parque de Anātha­piṇḍika. Lá ele se dirigiu aos monges desta forma: “Bhikkhus”—“Venerável Senhor,” eles responderam. O Abençoado disse o seguinte:

“Bhikkhus, eu ensinarei para vocês o renascimento de acordo com as próprias aspirações, ouçam e prestem muita atenção àquilo que eu vou dizer.”—“Sim, venerável senhor,” os bhikkhus responderam. O Abençoado disse o seguinte:

“Aqui, bhikkhus, um bhikkhu possui fé, virtude, aprendizado, generosidade e sabedoria. Ele pensa: ‘Oh! Que com a dissolução do corpo, depois da morte, eu possa renascer na companhia dos nobres prósperos!’ Ele fixa a mente nisso, estabelece isso, desenvolve isso. Essa sua aspiração e fixação, assim desenvolvida e cultivada, conduzem ao seu reaparecimento lá. Esse, bhikkhus, é o caminho, o modo que conduz ao renascimento lá.

“Outra vez, um bhikkhu possui fé … e sabedoria. Ele pensa: ‘Oh! Que com a dissolução do corpo, depois da morte, eu possa renascer na companhia dos brâmanes prósperos!’ … na companhia dos chefes de família prósperos!’ Ele fixa a mente nisso … Esse, bhikkhus, é o caminho, o modo que conduz ao renascimento lá.

“Outra vez, um bhikkhu possui fé … e sabedoria. Ele ouve que os devas dos Quatro Grandes Reis possuem vida longa, são belos e desfrutam de muita felicidade. Ele pensa: ‘Oh! Que com a dissolução do corpo, depois da morte, eu possa renascer na companhia dos devas dos Quatro Grandes Reis!’ Ele fixa a mente nisso … Esse, bhikkhus, é o caminho, o modo que conduz ao renascimento lá.

“Outra vez, um bhikkhu possui fé … e sabedoria. Ele ouve que os devas do Trinta e Três … os devas de Yāma … os devas de Tusita … os devas que se deliciam com a criação … os devas que exercem o poder sobre a criação dos outros possuem vida longa, são belos, e desfrutam de muita felicidade. Ele pensa: ‘Oh! Que com a dissolução do corpo, depois da morte, eu possa renascer na companhia dos devas que exercem o poder sobre a criação dos outros!’ Ele fixa a mente nisso … Esse, bhikkhus, é o caminho, o modo que conduz ao renascimento lá.

“Outra vez, um bhikkhu possui fé … e sabedoria. Ele ouve que o Brahmā de Mil possui vida longa, é belo e desfruta de muita felicidade. Agora, o Brahmā de Mil permanece determinado a penetrar um sistema cósmico com mil mundos e permanece determinado a penetrar os seres que ali renasceram. Tal qual um homem com boa visão pode tomar com a mão uma noz e examiná-la, da mesma forma o Brahmā de Mil permanece determinado a penetrar um sistema cósmico com mil [mundos], e permanece determinado a penetrar os seres que ali renasceram. O bhikkhu pensa: ‘Oh! Que com a dissolução do corpo, depois da morte, eu possa renascer na companhia do Brahmā de Mil!’ Ele fixa a mente nisso … Esse, bhikkhus, é o caminho, o modo que conduz ao renascimento lá.

“Outra vez, um bhikkhu possui fé … e sabedoria. Ele ouve que o Brahmā de Dois Mil … o Brahmā de Três Mil … o Brahmā de Quatro Mil … o Brahmā de Cinco Mil possui vida longa, é belo e desfruta de muita felicidade. Agora, o Brahmā de Cinco Mil permanece determinado a penetrar um sistema cósmico com cinco mil mundos e permanece determinado a penetrar os seres que ali renasceram. Tal qual um homem com boa visão pode tomar com a mão cinco nozes e examiná-las, da mesma forma o Brahmā de Cinco Mil permanece determinado a penetrar um sistema cósmico com cinco mil [mundos] e permanece determinado a penetrar os seres que ali renasceram. O bhikkhu pensa: ‘Oh! Que com a dissolução do corpo, depois da morte, eu possa renascer na companhia do Brahmā de Cinco Mil!’ Ele fixa a mente nisso … Esse, bhikkhus, é o caminho, o modo que conduz ao renascimento lá.

“Outra vez, um bhikkhu possui fé … e sabedoria. Ele ouve que o Brahmā de Dez Mil possui vida longa, é belo e desfruta de muita felicidade. Agora, o Brahmā de Dez Mil permanece determinado a penetrar um sistema cósmico com dez mil mundos e permanece determinado a penetrar os seres que ali renasceram. Tal qual uma bela pedra de berilo da mais pura água, com oito facetas, bem lapidada, sobre um brocado vermelho, brilha, radia e cintila, da mesma maneira o Brahmā de Dez Mil permanece determinado a penetrar um sistema cósmico com dez mil [mundos] e permanece determinado a penetrar os seres que ali renasceram. O bhikkhu pensa: ‘Oh! Que com a dissolução do corpo, depois da morte, eu possa renascer na companhia do Brahmā de Dez Mil!’ Ele fixa a mente nisso … Esse, bhikkhus, é o caminho, o modo que conduz ao renascimento lá.

“Outra vez, um bhikkhu possui fé … e sabedoria. Ele ouve que o Brahmā de Cem Mil possui vida longa, é belo e desfruta de muita felicidade. Agora, o Brahmā de Cem Mil permanece determinado a penetrar um sistema cósmico com cem mil mundos e permanece determinado a penetrar os seres que ali renasceram. Tal qual um ornamento feito com ouro puro, trabalhado na fornalha com habilidade por um ourives experto, sobre um brocado vermelho, brilha, radia e cintila, da mesma maneira o Brahmā de Cem Mil permanece determinado a penetrar um sistema cósmico com cem mil [mundos] e permanece determinado a penetrar os seres que ali renasceram. O bhikkhu pensa: ‘Oh! Que com a dissolução do corpo, depois da morte, eu possa renascer na companhia do Brahmā de Cem Mil!’ Ele fixa a mente nisso … Esse, bhikkhus, é o caminho, o modo que conduz ao renascimento lá.

“Outra vez, um bhikkhu possui fé … e sabedoria. Ele ouve que os devas da Radiância … os devas da Radiância Limitada … os devas da Radiância Imensurável … os devas que Emanam Radiância … os devas da Glória … os devas da Glória Limitada … os devas da Glória Imensurável … os devas da Glória Refulgente … os devas do Grande Fruto … os devas de Aviha … os devas de Ātappa … os devas de Sudassa … os devas de Sudassī … os devas de Akaniṭṭha possuem vida longa, são belos e desfrutam de muita felicidade. Ele pensa: ‘Oh! Que com a dissolução do corpo, depois da morte, eu possa renascer na companhia dos devas Akaniṭṭha!’ Ele fixa a mente nisso … Esse, bhikkhus, é o caminho, o modo que conduz ao renascimento lá.

“Outra vez, um bhikkhu possui fé … e sabedoria. Ele ouve que os devas da base do espaço infinito … os devas da base da consciência infinita … os devas da base do nada … os devas da base da nem percepção, nem não percepção possuem vida longa, duram muito tempo e desfrutam de muita felicidade. Ele pensa: ‘Oh! Que com a dissolução do corpo, depois da morte, eu possa renascer na companhia dos devas da base da nem percepção, nem não percepção!’ Ele fixa a mente nisso … Esse, bhikkhus, é o caminho, o modo que conduz ao renascimento lá.

“Outra vez, bhikkhus, um bhikkhu possui fé, virtude, aprendizado, generosidade e sabedoria. Ele pensa: ‘Oh! Que realizando por mim mesmo através do conhecimento direto, eu possa aqui e agora entrar e permanecer na libertação da mente e na libertação através da sabedoria que são imaculadas com a destruição das impurezas!’ E por ter realizado por si mesmo através do conhecimento direto, ele aqui e agora entra e permanece na libertação da mente e na libertação através da sabedoria que são imaculadas com a destruição de todas as impurezas. Bhikkhus, esse bhikkhu não renasce em nenhum lugar de modo nenhum.”

Isso foi o que disse o Abençoado. Os bhikkhus ficaram satisfeitos e contentes com as palavras do Abençoado.