COLEÇÃO DAS REGRAS MONÁSTICAS DO BUDISMO THERAVĀDA

O Código de Disciplina Monástica dos Bhikkhus

Regras Nissaggiya 5: Recebendo mantos

História de origem

Primeiro sub-relato

Certa vez, o Abençoado estava em Rajagaha, no Bambual, no Santuário dos Esquilos. Agora, naquela ocasião a bhikkhuni Uppalavaṇṇā estava em Sāvatthī. Depois de haver esmolado alimentos em Savatthi e de haver retornado, após a refeição, ela se dirigiu ao bosque dos Homens Cegos, e se instalou ao pé de uma árvore.

Foi então que alguns bandidos que haviam acabado de roubar uma vaca e abatê-la, levaram a carne desta para o bosque dos Homens Cegos. O chefe da quadrilha viu de longe a bhikkhuni Uppalavaṇṇā sentada ao pé da árvore, e pensou, “Se meus comparsas virem esta bhikkhuni, eles irão assediá-la”, e então ele guiou seu bando por caminho diferente. Em seguida, quando a carne foi cozida, ele separou um tanto das melhores partes, o colocou num embrulho feito de folhas de palmeira, e o pendurou numa árvore não muito longe de onde se encontrava Uppalavaṇṇā, dizendo: “Possa quaisquer contemplativo ou brâmane que esta oferenda encontrar, a levar.” E após isto ele partiu.

Uppalavaṇṇā, que tinha acabado de emergir da quietude, ouviu o que havia dito o chefe da quadrilha e então tomou a carne para si e retornou para onde ela havia se instalado. Quando a noite acabou, ela tomou aquela porção de carne o embrulhando em seu manto superior, e então elevou-se no ar e re-apareceu no Bambual, no Santuário dos Esquilos.

Quando ela lá chegou o Buda já havia ido para um vilarejo esmolar alimentos, mas lá se encontrava o Venerável Udāyī, que havia sido instruído a ali permanecer para tomar conta do mosteiro. A bhikkhuni Uppalavaṇṇā se aproximou do Venerável Udāyī e disse: “Venerável, onde está o Abençoado?”

“Ele foi para um vilarejo esmolar alimentos.”

“Venerável, por favor ofereça essa carne para o Abençoado.”

“Você certamente agradará o Abençoado com esta carne. Se você me der seu manto inferior, você me agradará também.”

“Venerável, mulheres não facilmente obtém os requisitos, e este é um dos meus cinco mantos. Não tenho um extra. Eu não posso lhe dar este.”

“Irmã, da mesma forma que um homem que presenteia alguém com um elefante decora o seu corpo, você deveria fazer sua oferenda de carne para o Abençoado decorando a mim com seu manto inferior.”

A ser pressionada desta forma pelo Venerável Udāyī, a bhikkhuni Uppalavaṇṇā acabou cedendo a este o seu manto inferior, e em seguida ela retornou para sua morada. As bhikkhunis que receberam a tigela e manto de Uppalavaṇṇā perguntaram a esta: “Venerável, onde está seu manto seu inferior?” e então ela lhes contou o que ocorreu. As bhikkhunis se queixaram e criticaram o Venerável Udāyī: “Como pôde o Venerável Udāyī receber um manto de uma bhikkhuni? Mulheres não facilmente obtém os requisitos.”

Aquelas bhikkhunis então informaram os bhikkhus. Os bhikkhus de poucos desejos … se queixaram e criticaram: “Como pôde o Venerável Udāyī receber um manto de uma bhikkhuni? Mulheres não facilmente obtém os requisitos.”

Após criticar o Venerável Udāyī de várias maneiras, esses bhikkhus informaram o Abençoado do ocorrido. Então, o Abençoado convocou a Sangha dos bhikkhus e questionou o venerável Udāyī: “É verdade, Udāyī, que você recebeu um manto de uma bhikkhuni?”

“É verdade, mestre.”

“Tal bhikkhuni é uma parente próxima sua?”

“Não, mestre.”

“Homem tolo, um homem e uma mulher que não são parentes não sabem discernir o que é apropriado do que não é no que diz respeito a como lidar um com outro, não sabem discernir conduta que é inspiradora daquela que não é inspiradora. E mesmo assim você recebeu um manto de uma bhikkhuni que não é uma parente próxima sua. Isto não fará surgir fé naqueles ainda sem fé … E então, bhikkhus, esta regra de treinamento deve ser assim recitada:

Regra Preliminar

“Se um bhikkhu recebe um manto de uma bhikkhuni que não seja sua parente, ele comete uma ofensa nissaggiya pacittiya, que implica a confissão com renúncia.”

E desta forma o Abençoado estabeleceu esta regra de formação para os bhikkhus.

Segundo sub-relato

Após isto, receosos de cometer uma ofensa, alguns bhikkhus deixaram de receber mantos de bhikkhunis mesmo quando se tratava de uma troca. As bhikkhunis se queixaram e criticaram: “Como podem eles recusar receber um manto de nós mesmo quando se trata de uma troca?”

Os bhikkhus ouviram as queixas e críticas das bhikkhunis e informaram o Buda. Após isto, o Abençoado deu um ensinamento e sem seguida se dirigiu aos bhikkhus:

“Bhikkhus, quando se tratar de uma troca, eu permito que vocês recebam coisas de cinco possíveis contrapartes: outros bhikkhus, bhikkhunis, bhikkhunis em treinamento, bhikkhus noviços e bhikkhunis noviças. E então, bhikkhus, esta regra de treinamento deve ser assim recitada:

Regra final

“Se um bhikkhu recebe um manto (ou tecido para manto) da mão de uma bhikkhuni que não seja sua parente, a menos que se tratar de uma troca, ele comete uma ofensa nissaggiya pacittiya, que implica a confissão com renúncia.”

Definições

Um: refere-se a qualquer indivíduo, de tal tipo, de tal ocupação, de tal status social, de tal nome, de tal família, de tal conduta, de tal comportamento, de tal associação, seja de muita ou pouca idade, ou não pertencendo a nenhum grupo específico. … Bhikkhu: … neste caso, um bhikkhu é alguém que tenha recebido a ordenação completa na Sangha de bhikkhus através de um procedimento formal, consistindo de três moções e três proclamações, que é irrefutável e completo.

Que não seja sua parente: sem nenhum parentesco, ela não é uma parenta próxima, não compartilha nenhum grau de parentesco por um número de sete gerações tanto por parte de mãe quanto por parte de pai.

Uma bhikkhuni: uma bhikkhuni que tenha recebido a ordenação completa de ambas a Bhikkhuni Sangha e Bhikkhu Sangha.

Um manto: um dos seis tipos de mantos—de linho, de algodão, de seda, de lã, de juta, de cânhamo—cuja dimensão não seja menor que a requerida para que haja a troca.

A menos que se tratar de uma troca: excluído o caso de uma troca.

Quando o bhikkhu aceita o manto, ele comete uma ofensa dukkata, da transgressão.

Quando ele recebe o manto, a posse do manto—ou o tecido para um manto—deverá ser renunciada e transferida para a Sangha dos bhikkhus, um grupo de bhikkhus ou um determinado bhikkhu. “E, bhikkhus, este deverá ser renunciado desta maneira:” “… (É expandido como na Regra Nissaggiya 1, com as devidas substituições) … Este manto é renunciado, e então retornado: ‘Eu devolvo este manto para este venerável.’”

Permutações

Se a bhikkhuni não é sua parente, o bhikkhu percebe esta como não sendo sua parente, e ele recebe um manto desta—exceto quando se tratar de uma troca—ele comete uma ofensa nissaggiya pacittiya, que implica a confissão com renúncia. Se a bhikkhuni não é sua parente e o bhikkhu não tem certeza, e ele recebe um manto desta—exceto quando se tratar de uma troca—ele comete uma ofensa nissaggiya pacittiya, que implica a confissão com renúncia. Se a bhikkhuni não é sua parente e o bhikkhu a percebe como sendo sua parente, e ele recebe um manto desta—exceto quando se tratar de uma troca—ele comete uma ofensa nissaggiya pacittiya, que implica a confissão com renúncia.

Se o bhikkhu recebe o manto de uma bhikkhuni ordenada por apenas um lado da Sangha, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão. Se a bhikkhuni é sua parente, mas o bhikkhu percebe esta como não o sendo, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão. Se a bhikkhuni é sua parente, mas o bhikkhu não tem certeza, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão. Se a bhikkhuni é sua parente, e o bhikkhu percebe esta como o sendo, não há ofensa.

Quando não é uma ofensa

Não há ofensa quando: a troca ocorre com uma bhikkhuni que seja parente do bhikkhu; se muito é trocado por pouco ou pouco trocado por muito; o manto é tomado tendo sido confiado a quem toma; o manto é tomado emprestado; se o bhikkhu recebe qualquer requisito que não seja um manto; se a bhikkhuni ainda estiver em treinamento; se a bhikkhuni for principiante; o indivíduo se encontra louco; ele é o primeiro a cometer a ofensa.

A quinta regra nissaggiya—relacionada ao recebimento de mantos—se encerra aqui.