COLEÇÃO DAS REGRAS MONÁSTICAS DO BUDISMO THERAVĀDA

O Código de Disciplina Monástica dos Bhikkhus

Regras Nissaggiya 9: Pedir quando recursos já foram reservados (2)

História de origem

Em certa ocasião o Abençoado estava em Savathi no Bosque de Jeta, no Parque de Anathapindika. Naquela época, um certo chefe de família disse para outro chefe de família: “Eu oferecerei um manto para o Venerável Upananda”, que em seguida respondeu: “Eu também oferecerei um manto para o Venerável Upananda.”

Enquanto recolhia esmolas um bhikkhu ouviu aquela conversa. Mais tarde, ele foi até o Venerável Upananda e disse: “Upananda, você tem muito mérito. Acabo de ouvir dois chefes de família dizerem um para o outro que eles lhe darão um manto.”

“Eles são meus patronos.”

E em seguida o Venerável Upananda foi até aqueles homens e lhes disse: “É verdade que vocês desejam me dar um manto?”

“Sim, é verdade, é exatamente isto o que estávamos pensando.”

“Se este for então o caso, dê-me um manto de tal e tal tipo. Qual seria o ponto de você me dar o que eu não usaria?”

Após isto aqueles homens se queixaram e criticaram: “Estes contemplativos Sákya têm grandes desejos; eles não se contentam. Não é simples lhes dar mantos. Como pode o Venerável Upananda vir até nós e especificar o tipo de manto que ele quer, sem antes ter sido por nós ofertado?”

Os bhikkhus ouviram as queixas e a crítica daqueles chefes de família e os bhikkhus de poucos desejos … se queixaram e criticaram da mesma forma: “Como pôde o Venerável Upananda ir até chefes de família e especificar o tipo de manto que ele queria, sem ter antes sido por eles ofertado?”

Depois de criticar aqueles bhikkhus de várias formas, eles então informaram o Abençoado do ocorrido … e ele questionou Upananda: “É verdade, Upananda, que você agiu de tal forma?”

“É verdade, mestre.”

“Aqueles chefes de família são parentes seus?”

“Não, mestre.”

“Homem tolo, pessoas que não são parentes não sabem discernir o que é apropriado do que não é no que diz respeito a como lidar um com outro. E mesmo assim você foi até chefes de família que não são seus parentes e especificou o tipo de manto que queria sem antes ter sido por eles ofertado. Isto não fará surgir fé naqueles ainda sem fé … E então, bhikkhus, esta regra de treinamento deve ser assim recitada:

Regra final

“Se um bhikkhu se aproxima de dois ou duas chefe de família que tenham reservado fundos para a aquisição de um manto para um bhikkhu e que não sejam seu parente, sem antes ter sido por estes ou por estas convidado, e com o pensamento ‘Com estes recursos compraremos e ofereceremos um manto para o bhikkhu tal e tal’, e então especifica o tipo de manto ele quer—tendo em mente obter algo de boa qualidade e dizendo ‘Seria bom, senhores, se vocês juntassem e usassem tais recursos para adquirir e me oferecer tal e tal manto’—ele comete uma ofensa nissaggiya pacittiya, que implica a confissão com renúncia.”

Definições

Para um bhikkhu […]: há a intenção de se oferecer ao bhikkhu, havendo consideração por este e tendo-se em mente a este beneficiar.

Dois ou duas: um par.

Que não sejam seus parentes: sem nenhum parentesco, não se tratam de parentes próximos, estes não compartilham nenhum grau de parentesco por um número de sete gerações tanto por parte de mãe quanto por parte de pai.

Uns chefes de família: qualquer homem que viva em família, ou que não seja um contemplativo.

Umas chefes de família: qualquer mulher que viva em família, ou que não seja uma contemplativa.

Recursos: uma quantidade de ouro, uma pérola, uma joia, um coral, um cristal, um pano, fios ou algodão.

Com estes recursos: com o que se tem à disposição.

Compraremos: uma troca é realizada.

Ofereceremos […]: ocorre a doação.

Se um bhikkhu: o bhikkhu para quem os recursos foram originalmente reservados.

Sem antes ter sido convidado: aqueles ou aquelas chefes de família ainda não disseram para ele: “Venerável, que tipo de manto você precisa? Que tipo de manto posso comprar para você?”

Se aproxima: vai até a casa daquele ou daquela chefe de família, ou onde se encontre aquele ou aquela chefe de família.

Especifica o tipo de manto que ele quer: ele pede que o manto seja ou longo, ou largo, ou tecido de forma cerrada ou macio.

Tal recurso: o recurso reservado e à disposição.

Tal-e-tal manto: um manto ou longo ou largo, tecido de forma cerrada ou macio.

Adquirir: realizar uma troca.

Oferecer: ofertar, doar, presentear, prover.

Tendo em mente obter algo de boa qualidade: havendo intenção de se obter algo de boa qualidade e de valor.

Se aqueles ou aquelas chefes de família compram um manto ou longo ou largo, tecido de forma cerrada ou macio por causa do que solicitou o bhikkhu, com o ato da solicitação, o bhikkhu comete uma ofensa dukkata, de transgressão. Quando ele recebe o manto, a posse do manto—ou o tecido para um manto—deverá ser renunciada e transferida para a Sangha dos bhikkhus, um grupo de bhikkhus ou um determinado bhikkhu.

“E, bhikkhus, este deverá ser renunciado desta maneira:” “… É expandido como no Bu-NP.1.3.2, com as devidas substituições … Este manto é renunciado, e então retornado: ‘Eu devolvo este manto para este venerável.’”

Permutações

Se a pessoa não é sua parente, o bhikkhu percebe esta como não sendo sua parente, e, sem antes ter sido convidado, ele se aproxima dela e especifica o tipo de manto que ele quer, ele comete uma ofensa nissaggiya pacittiya, que implica a confissão com renúncia. Se a pessoa não é sua parente e o bhikkhu não tem certeza, e, sem antes ter sido convidado, ele se aproxima dela e especifica o tipo de manto que ele quer, ele comete uma ofensa nissaggiya pacittiya, que implica a confissão com renúncia. Se a pessoa não é sua parente e o bhikkhu a percebe como sendo sua parente, e, sem antes ter sido convidado, ele se aproxima dela e especifica o tipo de manto que ele quer, ele comete uma ofensa nissaggiya pacittiya, que implica a confissão com renúncia.

Se a pessoa é sua parente, mas o bhikkhu percebe esta como não o sendo, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão. Se a pessoa é sua parente, mas o bhikkhu não tem certeza, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão. Se a pessoa é sua parente, e o bhikkhu percebe esta como o sendo, não há ofensa.

Quando não é uma ofensa

Não há ofensa quando: ele recebe de um parente; e ele pede para alguém que lhe fez uma oferta; ele recebe em nome de outrem; ele obtém por meio de meio de seus próprios recursos; se a pessoa tem a intenção de adquirir e ofertar algo caro mas o bhikkhu faz com que esta compre algo de menor valor; o indivíduo se encontra louco; ele é o primeiro a cometer a ofensa.

A nona regra nissaggiya—a segunda regra relacionada a pedir quando recursos são reservados—se encerra aqui.