COLEÇÃO DAS REGRAS MONÁSTICAS DO BUDISMO THERAVĀDA

O Código de Disciplina Monástica dos Bhikkhus

Regras Saṅghādisesā 12: Ser difícil de se admoestar

História de origem

Certa vez, o Abençoado estava em Kosambi no Parque de Ghosita. Naquela ocasião o Venerável Channa se comportava incorretamente. Os bhikkhus diziam-lhe: “Não faça isso; não é adequado”, e ele lhes respondia:

“Quem são vocês para me repreender? Eu é que deveria lhes censurar! O Buda é meu, o Ensinamento é meu; o Dhamma foi realizado pelo jovem mestre por minha causa. Assim como um pé de vento levanta de uma só vez grama, gravetos e folhas caídas, ou da mesma forma que uma tromba d'água faz emergir de uma só vez as folhas de várias plantas aquáticas, vocês também—tendo diversos nomes, oriundos de várias famílias, várias castas, vários clãs—ao adotarem a vida santa, foram elevados de uma só vez. Quem são vocês para me repreender? … o Dhamma foi realizado pelo jovem mestre por minha causa.”

Os bhikkhus de poucos desejos … se queixaram e criticaram: “Como pode o Venerável Channa persistir numa atitude que torna difícil a admoestação quando ele é legitimamente repreendido pelos bhikkhus?”

Eles então informaram o Abençoado … e ele o questionou: “É verdade, Channa, que você persiste numa atitude que torna difícil a admoestação quando legitimamente repreendido pelos bhikkhus?

“É verdade, mestre.”

O Buda então o criticou: “… Homem insensato, como pode você assim agir? Isto não fará surgir fé naqueles ainda sem fé … E então, bhikkhus, esta regra de treinamento deve ser assim recitada:

Regra final

“Se um bhikkhu é difícil de ser repreendido, e ele persiste numa atitude que torna difícil a admoestação quando legitimamente repreendido pelos bhikkhus sobre as regras de treinamento que são recitadas, dizendo, ‘Veneráveis, não me façam advertências positivas ou negativas, e eu não lhes farei advertências positivas ou negativas; por favor evitem me censurar,’ os bhikkhus devem devem então admoestá-lo desta forma: ‘Venerável, seja fácil, não difícil, de se admoestar. Por favor ofereça legítima admoestação aos bhikkhus, e os bhikkhus farão o mesmo com você. Pois é desta forma que a Sangha do Abençoado cresce, ou seja, por meio da admoestação mútua e da mútua reabilitação.’ Se após isto tal bhikkhu continua como antes, os bhikkhus devem repreendê-lo formalmente três vezes. Se ele abandona a atitude que torna difícil a admoestação, isso é bom. Se ele persiste com esta, ele comete uma ofensa sanghadisesa.”

Definições

Se um bhikkhu é difícil de ser repreendido: se ele é difícil de ser admoestado, dotado de qualidades que tornam difícil a admoestação, ele resiste e não recebe instruções de forma respeitosa.

Sobre as regras de treinamento que são recitadas: sobre as regras do código de disciplina monástica dos bhikkhus.

Pelos bhikkhus: por outros bhikkhus.

Legitimamente: em referência a qualquer regra de treinamento estabelecida pelo Abençoado. Quando legitimamente instruído pelos bhikkhus sobre as regras de treinamento que são recitadas, dizendo, ‘Veneráveis, não me façam advertências positivas ou negativas, e eu não lhes farei advertências positivas ou negativas; por favor evitem me censurar.’

Ele: o bhikkhu que é difícil de se admoestar.

Os bhikkhus:

Se os bhikkhus virem ou ouvirem falar sobre a questão eles devem dizer, “Venerável, seja fácil, não difícil, de se admoestar. Por favor ofereça legítima admoestação aos bhikkhus, e os bhikkhus farão o mesmo com você. Pois é desta forma que a Sangha do Abençoado cresce, ou seja, por meio da admoestação mútua e da mútua reabilitação.” E eles devem dizer isto uma segunda e uma terceira vez. Se o bhikkhu abandona a atitude que torna difícil a admoestação, isso é bom. Se ele não o faz, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão. Aqueles bhikkhus que ouvirem falar sobre a questão e nada disserem cometem também uma ofensa dukkata.

Tal bhikkhu, mesmo que tenha de ser arrastado para o meio da Sangha, deve ser assim abordado: “Venerável, seja fácil, não difícil, de se admoestar. Por favor ofereça legítima admoestação aos bhikkhus, e os bhikkhus farão o mesmo com você. Pois é desta forma que a Sangha do Abençoado cresce, ou seja, por meio da admoestação mútua e da mútua reabilitação.” E devem dizer isto uma segunda e uma terceira vez. Se o bhikkhu abandona a atitude que torna difícil a admoestação, isso é bom. Se ele não o faz, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão.

Deve ser assim ser admoestado:

“E, bhikkhus, ele deve ser admoestado de acordo com o seguinte processo: Um bhikkhu experiente e competente deve informar a Sangha:

‘Veneráveis, possa a Sangha me escutar. Tal e tal bhikkhu persiste numa atitude que torna difícil a admoestação quando legitimamente instruído pelos bhikkhus sobre as regras de treinamento que são recitadas. Ele não abandona tal atitude. Se conveniente para a Sangha, esta deve advertê-lo a não prosseguir. Esta é a moção.

‘Veneráveis, possa a Sangha me escutar. Tal e tal bhikkhu persiste numa atitude que torna difícil a admoestação quando legitimamente instruído pelos bhikkhus sobre as regras de treinamento que são recitadas. Ele não abandona tal atitude. Aqueles que aprovarem advertê-lo a não prosseguir devem permanecer em silêncio. Aqueles que não aprovarem devem dizê-lo.

“‘Uma segunda vez … Uma terceira vez eu lhes falo sobre este assunto: Veneráveis, possa a Sangha me escutar. Tal e tal bhikkhu persiste numa atitude que torna difícil a admoestação quando legitimamente instruído pelos bhikkhus sobre as regras de treinamento que são recitadas. Ele não abandona tal atitude. Aqueles que aprovarem advertê-los a não prosseguir devem permanecer em silêncio. Aqueles que não aprovarem devem dizê-lo.

“‘Tal e tal bhikkhu é admoestado pela Sangha a não prosseguir numa atitude que torna difícil a admoestação. A Sangha aprova e portanto não se pronuncia. Assim me lembrarei.’”

Se o bhikku não abandona tal posição após a moção, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão. Após cada uma das duas proclamações, ele comete uma ofensa thullaccaya, uma ofensa grave. Terminada a última proclamação, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão. Tendo cometido a ofensa sanghadisesa, ambas as ofensas dukkata e thullaccaya são anuladas.

Uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão: apenas a sangha dos bhikkhus—e não um grupo de bhikkhus ou um bhikkhu apenas—pode declarar a penitência devida, suspender e estabelecer a reinclusão na sangha. Portanto é dito que se comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão, este é o nome e definição desta classe de ofensas. Desta forma, igualmente, isto é o que se entende por cometer uma “ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão.”

Permutações

Se o procedimento for legítimo, ele o percebe como sendo legítimo, mas ele não abandona a atitude que torna difícil a admoestação, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão.

Se o procedimento for legítimo, ele não tem certeza sobre sua legitimidade, e ele não abandona a atitude que torna difícil a admoestação, ele cometem uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão.

Se o procedimento for legítimo, ele o percebe como sendo ilegítimo, e ele não abandona a atitude que torna difícil a admoestação, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão.

Se o procedimento for ilegítimo, mas ele o percebe como legítimo, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão.

Se o procedimento for ilegítimo, ele não tem certeza sobre sua legitimidade, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão.

Se o procedimento for ilegítimo, ele o percebe como sendo ilegítimo, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão

Quando não é uma ofensa

Não há ofensa quando: ele não é advertido; se ele abandona sua tentativa; o indivíduo se encontra louco; o indivíduo se encontra tomado pela dor; ele é o primeiro a cometer a ofensa.

A décima segunda regra de treinamento sanghadisesa—sobre ser difícil de se admoestar—se encerra aqui.