COLEÇÃO DAS REGRAS MONÁSTICAS DO BUDISMO THERAVĀDA

O Código de Disciplina Monástica dos Bhikkhus

Regras Saṅghādisesā 4: Alusão ao ato sexual como uma oferenda

História de origem

Certa ocasião, o Abençoado estava em Savatthi, no Bosque de Jeta, no Parque de Anathapindika. Naquela época, of Venerável Udāyī havia se associado e visitava um grupo de famílias. Então, cedo pela manhã o Venerável Udāyī se vestiu e tomando a tigela e o manto externo foi para a casa de uma viúva muito bonita, e lá ele se sentou num assento para ele preparado. Aquela mulher se aproximou de Venerável Udāyī, o homenageou e se sentou a um lado. O Venerável Udāyī então a instruiu, inspirou e alegrou com um ensinamento. Ela então disse: “Venerável, por favor, diga-me do que você precisa. Eu posso oferecer mantos, alimentos, alojamento e medicamentos”.

“Não é difícil para nós, irmã, obter tais requisitos. Dê-me o que é difícil para nós obter.”

“A que você se refere, venerável?”

“Relações sexuais”.

“E isso é o que você quer agora, venerável?”

“Sim, irmã.”

“Venha, Venerável”, ela disse e em seguida entrou em seu quarto, tirando a roupa e deitando-se na cama. O Venerável Udāyī se aproximou dela e cuspiu no chão, dizendo: “Quem tocaria essa fedorenta miserável!”, partindo em seguida.

Então, aquela mulher reclamou e criticou: “Estes contemplativos Sákya não tem escrúpulos, são imorais e mentirosos, eles afirmam ser seguidores do Dhamma, de boa conduta, comprometidos com a vida espiritual, falantes da verdade, virtuosos, de boa conduta. Mas eles não têm as qualidades de um contemplativo ou brâmane, eles perderam o rumo. Como pôde o contemplativo Udāyī solicitar ter relações sexuais comigo e depois cuspir no chão, dizendo: “Quem tocaria essa fedorenta miserável!”, partindo em seguida? O que há de errado comigo? Como sou eu fedorenta? De que forma seria eu inferior?”

Outras mulheres, também, o criticaram da mesma forma, e aquilo chegou aos ouvidos dos outros bhikkhus. Os bhikkhus de poucos desejos… se queixaram e o criticaram: “Como pôde o Venerável Udāyī falar na presença de uma mulher em louvor ou a respeito da sua própria sensualidade, aludindo ao ato sexual como uma oferenda?”

Esses bhikkhus repreenderam o Venerável Udāyī de muitas maneiras e em seguida, informaram ao Abençoado o ocorrido. O Abençoado então convocou a sangha dos bhikkhus e questionou o Venerável Udāyī:

“É verdade, Udāyī, que você falou na presença de uma mulher em louvor ou a respeito da sua própria sensualidade, aludindo ao ato sexual como uma oferenda?”

“É verdade, mestre.”

O Abençoado então o repreendeu: “Não é adequado, homem tolo, não é conveniente, não é apropriado, não é digno de um contemplativo, não é correto, não deve ser feito. Como pôde você ter falado na presença de uma mulher em louvor ou a respeito da sua própria sensualidade, aludindo ao ato sexual como oferenda? Não é o caso que eu ensinei de várias formas objetivando o fim do desejo e não desejo; objetivando a liberdade da escravidão, e não a permanência no cativeiro; objetivando o desapego, e não o apego? Tendo eu desta forma ensinado, como pôde você ter se entregado ao desejo, ao cativeiro e ao apego? Não é o caso que eu ensinei de diversas formas tendo como o objetivo o abandono do desejo, o fim da presunção, a remoção de sede, o desenraizamento do apego, o interrompimento do ciclo de renascimentos, o fim do desejo, o desaparecimento, a cessação e a extinção do sofrimento? Não é o caso que eu de várias maneiras declarei o abandono dos prazeres sensuais, o pleno entendimento da percepção dos prazeres sensuais, a eliminação da sede pelos prazeres sensuais, a cessação dos pensamentos acerca de objetos de prazer sensual, o acalmar da febre dos prazeres sensuais? Homem tolo, isto não fará surgir fé naqueles ainda sem fé, nem tampouco fará aumentar a fé daqueles que já a têm, mas isso dificultará o surgimento da fé naqueles ainda sem fé, e fará com que aqueles com fé mudem suas mentes.” Então, depois de repreender aquele bhikkhu de muitas maneiras, por ser difícil de suportar… O Abençoado disse: “E então, bhikkhus, esta regra de treinamento deve ser assim recitada:

Regra final

“Se um bhikkhu, tomado pelo desejo e com a mente alterada, falar na presença de uma mulher em louvor ou a respeito da sua própria sensualidade assim: “Esta, irmã, é a mais elevada das oferendas, a de ajudar um seguidor da vida celibatária, virtuoso, de fina natureza, como eu mesmo estou fazendo com este ato” – aludindo ao ato sexual como uma oferenda – ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão.”

Definições

Um: refere-se a qualquer indivíduo, de tal tipo, de tal ocupação, de tal status social, de tal nome, de tal família, de tal conduta, de tal comportamento, de tal associação, seja de muita ou pouca idade, ou não pertencendo a nenhum grupo específico. . . . Bhikkhu: . . . neste caso, um bhikkhu é alguém que tenha recebido a ordenação completa na Sangha de bhikkhus através de um procedimento formal, consistindo de três moções e três proclamações, que é irrefutável e completo.

Tomado pelo desejo: desejoso, ávido, apaixonado.

Com a mente alterada: uma mente pode ser alterada, distorcida pelo desejo, pela raiva, ou pela delusão. Neste caso se refere da mente alterada ou distorcida pelo desejo.

Uma mulher: uma mulher. Não trata-se aqui de uma yakkha mulher, uma fantasma, ou uma fêmea de espécie animal. Ela compreende e é capaz de discernir fala respeitosa da fala maldosa, o que é imoral do que não é obsceno.

Na presença de uma mulher: perto de uma mulher, próximo a uma mulher.

Sua própria sensualidade: prazer próprio, objetivando a si, tendo a si como causa, tendo a si servido.

A mais elevada: o que é mais elevado, o que é melhor, o que é o mais importante, o máximo, o mais excelente.

Ela: tanto uma mulher de origem nobre, quanto uma brâmane, uma comerciante, ou uma serviçal.

Um como eu: tanto um homem de origem nobre, quanto um brâmane, um comerciante ou um serviçal.

Virtuoso: alguém que se abstém de matar seres vivos, se abstém de roubar, que se abstém de mentir.

Seguidor da vida celibatária: alguém que se abstém de relações sexuais.

De fina natureza: tem bom caráter, sendo virtuoso e seguidor da vida celibatária.

Como: através do ato sexuais.

Ajuda […] com: agrada, satisfaz, causa prazer.

Aludindo ao ato sexual: fazendo referência ao ato sexual.

Uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão: apenas a sangha dos bhikkhus - e não um grupo de bhikkhus ou um bhikkhu apenas - pode declarar a penitência devida, suspender e estabelecer a reinclusão na sangha. Portanto é dito que se comete uma uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão, este é o nome e definição desta classe de ofensas. Desta forma, igualmente, isto é o que se entende por cometer uma “ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão”.

Permutações

Há uma mulher, ele a percebe como uma mulher, e ele tem desejo. Se o bhikkhu, na presença da mulher, fala em louvor ou a respeito da sua própria sensualidade, aludindo ao ato sexual como uma oferenda, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão.

Há uma mulher, mas ele não tem certeza… Este parágrafo é expandido como no Bu-Ss.2.3.1. … mas ele o percebe como um paṇḍaka… mas ele o percebe como um homem… mas ele o percebe como um animal, e ele tem desejo. Se o bhikkhu, na presença da mulher, fala em louvor ou a respeito da sua própria sensualidade, aludindo ao ato sexual como uma oferenda, ele comete uma ofensa thullaccaya, uma ofensa grave…

Há um paṇḍaka, ele o percebe como um paṇḍaka e ele tem desejo. Se o bhikkhu, na presença do paṇḍaka, fala em louvor ou a respeito da sua própria sensualidade, aludindo ao ato sexual como uma oferenda, ele comete uma ofensa thullaccaya, uma ofensa grave…

Há um paṇḍaka, mas ele não tem certeza… Este parágrafo é expandido como no Bu-Ss.2.3.1. … mas ele o percebe como homem… mas ele o percebe como animal… mas ele o percebe como mulher, e ele tem desejo. Se o bhikkhu, na presença do paṇḍaka, fala em louvor ou a respeito da sua própria sensualidade, aludindo ao ato sexual como uma oferenda, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão.

Há um homem… Este parágrafo é expandido como no Bu-Ss.2.3.1. … é um animal, ele o percebe como um animal… mas ele não tem certeza… mas ele o percebe como uma mulher… mas ele o percebe como um paṇḍaka… mas ele o percebe como um homem e ele tem desejo. Se o bhikkhu, na presença do animal, fala em louvor ou a respeito da sua própria sensualidade, aludindo ao ato sexual como uma oferenda, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão.

Há duas mulheres, ele as percebe como mulheres, e ele tem desejo. Se o bhikkhu, na presença de ambas, fala em louvor ou a respeito da sua própria sensualidade, aludindo ao ato sexual como uma oferenda, ele comete dois delitos que implique a suspensão. … É expandido como no Bu-Ss.2.3.2. …

Há uma mulher e um paṇḍaka, ele percebe ambos como mulheres, e ele tem desejo. Se o bhikkhu, na presença de ambos, fala em louvor ou a respeito da sua própria sensualidade, aludindo ao ato sexual como uma oferenda, ele comete um delito de sanghadisesa, que implica a suspensão e uma ofensa dukkata, de transgressão. … É expandido como no Bu-Ss.2.3.3. …

Quando não há ofensa

Não há ofensa quando: ele diz: “Ofereça mantos, alimentos, alojamento e medicamentos”; o indivíduo se encontra louco; ele é o primeiro a cometer a ofensa.

Casos e suas respectivas decisões

Lista para memorização

Uma mulher estéril, uma mulher fértil,
Ser querida, ter sorte;
O que oferecer, como ser útil,
Garantir um bom renascimento.

Detalhes do casos

Certa vez, uma mulher estéril disse para um bhikkhu que era apoiado por sua família: “Venerável, como posso engravidar?”

“Bem, irmã, faça a mais elevada das oferendas.”

“Qual é a mais elevada das oferendas, venerável?”

“Relações sexuais”.

Ele tornou-se ansioso… “Você cometeu uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão”.

Certa vez, uma mulher fértil disse para um bhikkhu que era apoiado por sua família: “Venerável, como posso engravidar?”

“Bem, irmã, faça a mais elevada das oferendas.” …

“Você cometeu uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão”.

Certa vez, uma mulher disse para um bhikkhu que era apoiado por sua família: “Venerável, como posso ser querida por meu marido?”

“Bem, irmã, faça a mais elevada das oferendas.” …

“Você cometeu uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão”.

Certa vez, uma mulher disse para um bhikkhu que era apoiado por sua família: “Venerável, como posso ter sorte?”

“Bem, irmã, faça a mais elevada das oferendas.” …

“Você cometeu uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão”.

Certa vez, uma mulher disse para um bhikkhu que era apoiado por sua família: “Venerável, o que posso lhe oferecer?”

“Bem, irmã, faça a mais elevada das oferendas.” …

“Você cometeu uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão”.

Certa vez, uma mulher disse para um bhikkhu que era apoiado por sua família: “Venerável, como posso eu lhe ser útil?”

“Bem, irmã, faça a mais elevada das oferendas.” …

“Você cometeu uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão”.

Certa vez, uma mulher disse para um bhikkhu que era apoiado por sua família: “Venerável, como posso eu garantir um bom renascimento?”

“Bem, irmã, faça a mais elevada das oferendas.”

“Qual é a mais elevada das oferendas, venerável?”

“Relações sexuais”.

Ele tornou-se ansioso… “Você cometeu uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão”.

A quarta regra de treinamento sanghadisesa, sobre a alusão ao ato sexual como uma oferenda, se encerra aqui.