COLEÇÃO DAS REGRAS MONÁSTICAS DO BUDISMO THERAVĀDA

O Código de Disciplina Monástica dos Bhikkhus

Regras Saṅghādisesā 7: Construção de moradas (Vihāra)

História de origem

Certa ocasião, o Abençoado se encontrava em Kosambī no parque de Ghosita. Naquela época, um chefe de família discípulo do Venerável Channa disse a ele: “Venerável, por favor, encontre um local para que eu construa uma morada para seu uso.”

Então, enquanto limpava o local para a construção da morada o Venerável Channa derrubou uma árvore que servia como um santuário e que era reverenciada por todos da vila, da cidade, do distrito e do reino. As pessoas o queixaram e criticaram: “Como podem estes contemplativos Sákya terem derrubado tal árvore? Eles fazem mal a este ser simples, dotado apenas da vitalidade.”

Os bhikkhus ouviram as crítica dessas pessoas, e os bhikkhus de poucos desejos reclamaram e criticaram…da mesma maneira o Venerável Channa. Eles repreenderam o Venerável Channa de muitas maneiras e em seguida, informaram ao Abençoado o ocorrido. O Abençoado então disse: “É verdade, Channa, que você derrubou uma árvore que servia como um santuário e que era reverenciada por todos da vila, da cidade, do distrito e do reino?”

“É verdade, mestre.”

O Abençoado então o repreendeu: “…Homem tolo, como pôde você ter feito isso? Estas pessoas percebem as árvores como seres vivos. Isto não fará surgir fé naqueles ainda sem fé…” E então, bhikkhus, esta regra de treinamento deve ser assim recitada:

Regra final

“Quando um bhikkhu constrói uma morada grande, tendo um proprietário patrocinador e destinada a si mesmo, ele deve obter de outros bhikkhus a aprovação de um local para a construção desta onde nenhum mal será feito, e dispondo de espaço suficiente ao redor. Se um bhikkhu construir uma morada grande em um local onde será feito mal e não dispondo de espaço suficiente ao seu redor, não obtendo de outros bhikkhus a aprovação para o seu lugar de construção, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão.”

Definições

Uma morada grande: tendo um proprietário patrocinador é o que se entende.

Morada: uma morada feita de pau-a-pique ou material equivalente ou similar, um vihāra.

Construir: ergue ele mesmo ou consegue alguém que o faça.

Tendo um proprietário patrocinador: há um outro dono, seja um homem, uma mulher, um chefe de família ou alguém que tenha adotado a vida santa.

Destinada a si mesmo: para uso próprio.

Obtem de outros bhikkhus a aprovação de um local para construção:

O bhikkhu que está construindo a morada deve ter o local preparado e, em seguida abordar a Sangha dos bhikkhus e—colocando seu manto sobre um ombro, prestando homenagem aos pés dos bhikkhus sêniores—ajoelhar-se, levantar as mãos juntas em anjali, e dizer: Veneráveis, eu desejo construir uma grande morada a ser destinada ao meu uso. Solicito que a Sangha inspecione o local escolhido para a morada.” Ele deverá fazer seu pedido uma segunda e uma terceira vez. Se toda a Sangha for capaz de inspecionar o local, eles devem ir. Se toda a Sangha não for capaz de inspecionar o local então os bhikkhus que forem experientes e competentes—que sabem onde mal será feito e onde nenhum mal será feito, e se haverá ou não espaço suficiente ao seu redor—devem ser consultados e então nomeados. “E, bhikkhus, eles devem ser nomeados dessa forma: Um bhikkhu experiente e competente deve informar a Sangha:

“Veneráveis, possa a Sangha me escutar. Tal e tal bhikkhu deseja construir uma grande morada a ser destinada ao seu uso. Ele solicita que a Sangha inspecione o local para a construção da morada. Se conveniente para a Sangha, esta deve nomear tais e tais bhikkhus para a inspeção do local. Esta é a moção.”

“Veneráveis, possa a Sangha me escutar. Tal e tal bhikkhu deseja construir uma grande morada a ser destinada ao seu uso. Ele solicita que a Sangha inspecione o local para a construção da morada. A Sangha nomeia tais e tais bhikkhus para a inspeção do local. Aqueles que aprovarem a nomeação de tais e tais bhikkhus para inspecionar o local para a construção da morada devem permanecer em silêncio. Aqueles que não aprovarem devem dizê-lo.”

“Tais e tais bhikkhus foram nomeados pela Sangha para inspecionar o local para a construção da morada de tal e tal bhikkhu. A Sangha aprova e portanto não se pronuncia. Assim me lembrarei.”

Os bhikkhus nomeados devem ir até o local para a construção da morada, inspeccioná-la, conferir se nenhum mal será feito e se há espaço suficiente ao seu redor. Se mal será feito ou se não há espaço suficiente ao seu redor, eles devem dizer: 'Não construa aqui.' Se nenhum mal será feito e se houver espaço suficiente ao seu redor, eles devem informar a Sangha: 'Nenhum mal será feito e há espaço suficiente ao seu redor.' O bhikkhu que está construindo a morada deverá então abordar a Sangha dos bhikkhus—colocando seu manto sobre um ombro, prestando homenagem aos pés dos bhikkhus sêniores—ajoelhar-se, levantar as mãos juntas em anjali, e dizer: 'Veneráveis, é meu desejo construir uma grande morada a ser destinada ao meu uso. Solicito que a Sangha aprove o local escolhido para a morada'. Ele deverá fazer este pedido uma segunda e uma terceira vez.“Um bhikkhu experiente e competente deve em seguida informar a Sangha:

“Veneráveis, possa a Sangha me escutar. Tal e tal bhikkhu deseja construir uma grande morada a ser destinada ao seu uso. Ele solicita que a Sangha aprove o local escolhido para a morada. Se a Sangha achar conveniente a Sangha deve aprovar o local. Esta é a moção.”

“Veneráveis, possa a Sangha me escutar. Tal e tal bhikkhu deseja construir uma grande morada a ser destinada ao seu uso. Ele solicita que a Sangha aprove o local escolhido para a morada. A Sangha aprova o local escolhido para a morada de tal e tal bhikkhu. Qualquer bhikkhu de acordo com a aprovação do local escolhido para a morada deve permanecer em silêncio. Quaisquer bhikkhu em desacordo deve dizê-lo.”

“O local escolhido para a morada de tal e tal bhikkhu foi aprovado pela Sangha. A Sangha aprova e portanto permanece em silência. Assim me lembrarei.”

Onde mal será feito: o local serve de morada para formigas, cupins, ratos, cobras, escorpiões, centopeias, elefantes, cavalos, leões, tigres, leopardos, ursos, ou hienas ou quaisquer outros animais; ou se encontra próxima de um campo de cereais, uma horta de legumes, um abatedouro, um local de execução, um cemitério, um parque, uma propriedade real, um estábulo para elefantes, um estábulo para cavalos, uma prisão, um bar, um matadouro, uma estrada, uma encruzilhada, um fórum ou um beco sem saída—a isto se denomina um local “onde mal será feito.”

Não dispondo de espaço suficiente ao seu redor: não é possível andar ao seu redor com um carrinho de mão ou com uma escada, a isto se refere a expressão “não dispondo de espaço suficiente ao seu redor.”

Onde nenhum mal será feito: o local não serve de morada para formigas, cupins, ratos, cobras, escorpiões, centopeias, elefantes, cavalos, leões, tigres, leopardos, ursos, ou hienas ou quaisquer outros animais; nem tampouco se encontra próxima de um campo de cereais, uma horta de legumes, um abatedouro, um local de execução, um cemitério, um parque, uma propriedade real, um estábulo para elefantes, um estábulo para cavalos, uma prisão, um bar, um matadouro, uma estrada, uma encruzilhada, um fórum ou um beco sem saída—a isto se denomina um local “onde nenhum mal será feito.”

Que dispõe de espaço suficiente ao seu redor: é possível andar ao seu redor com um carrinho de mão ou com uma escada, a isto se refere a expressão “que dispõe de espaço suficiente ao seu redor.”

Uma morada grande: uma morada construída tendo-se um proprietário patrocinador, é o que se entende.

Morada: uma morada feita de pau-a-pique ou material equivalente ou similar, um vihāra.

Construir: ergue ele mesmo ou consegue alguém que o faça.

Não obtendo de outros bhikkhus a aprovação para o seu lugar de construção: se o local escolhido para a morada não foi aprovado através de um procedimento formal que envolve uma moção e três proclamações, ou ele constrói uma morada, ou consegue que alguém a construa para si, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão, só pelo esforço da ação. Quando se falta apenas uma peça para completar a construção morada, ele comete uma ofensa thullaccayya, uma ofensa grave. Quando a última peça for concluída, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão.

Uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão: apenas a sangha dos bhikkhus—e não um grupo de bhikkhus ou um bhikkhu apenas—pode declarar a penitência devida, suspender e estabelecer a reinclusão na sangha. Portanto é dito que se comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão, este é o nome e definição desta classe de ofensas. Desta forma, igualmente, isto é o que se entende por cometer uma “ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão.”

Permutações

Permutações parte 1

Construindo ele mesmo

Se um bhikkhu constrói ele mesmo uma morada num local não aprovado, onde mal será feito, e não dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão, e duas ofensas dukkata, de transgressão. Se um bhikkhu constrói ele mesmo uma morada num local não aprovado, onde mal será feito, mas dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão, e uma ofensa dukkata, de transgressão. Se um bhikkhu constrói ele mesmo uma morada num local não aprovado, onde nenhum mal será feito, mas não dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve suspensão e uma ofensa dukkata, de transgressão. Se um bhikkhu constrói ele mesmo uma morada num local não aprovado, onde nenhum mal será feito, e dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão.

Se um bhikkhu constrói ele mesmo uma morada num local aprovado, onde mal será feito, e não dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete duas ofensas dukkata, de transgressão. Se um bhikkhu constrói ele mesmo uma morada num local aprovado, onde mal será feito, mas dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão. Se um bhikkhu constrói ele mesmo uma morada num local aprovado, onde nenhum mal será feito, mas não dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão. Se um bhikkhu constrói ele mesmo uma morada num local aprovado, onde nenhum mal será feito, e dispondo de espaço suficiente ao seu redor, não há ofensa.

Nomeando alguém para a construção

Um bhikkhu nomeia alguém para lhe construir uma morada. Se a morada é construída num local não aprovado, onde mal será feito, e não dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão, e duas ofensas dukkata, de transgressão. … onde mal será feito, mas dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão, e uma ofensa dukkata, de transgressão. … onde nenhum mal será feito, mas não dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão, e uma ofensa dukkata, de transgressão. … onde nenhum mal será feito e dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão.

Um bhikkhu nomeia alguém para lhe construir uma morada. Se a morada é construída num local aprovado, onde mal será feito, e não dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete duas ofensas dukkata, de transgressão. … onde mal será feito, mas dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão. … onde nenhum mal será feito, mas não dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão. … onde nenhum mal será feito e dispondo de espaço suficiente ao seu redor, não há ofensa.

Partindo sem instruir o procedimento de construção adequado

Um bhikkhu nomeia alguém para lhe construir uma morada e depois se afasta, sem instruir que esta seja construída em um local aprovado, onde nenhum mal será feito, e dispondo de espaço suficiente ao seu redor. Se a morada é construída num local não aprovado, onde mal será feito, e não dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão, e duas ofensas dukkata, de transgressão. … onde mal será feito, mas dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão, e uma ofensa dukkata, de transgressão. … onde nenhum mal será feito, mas não dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão, e uma ofensa dukkata, de transgressão. … onde nenhum mal será feito e dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão.

Um bhikkhu nomeia alguém para lhe construir uma morada e depois se afasta, sem instruir que esta seja construída em um local aprovado, onde nenhum mal será feito, e dispondo de espaço suficiente ao seu redor. Se a morada é construída num local aprovado, onde mal será feito, e não dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete duas ofensas dukkata, de transgressão. … onde mal será feito, mas dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão. … onde nenhum mal será feito, mas não dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão. … onde nenhum mal será feito e dispondo de espaço suficiente ao seu redor, não há ofensa.

Sendo informado de um procedimento errôneo de construção após partir

Um bhikkhu nomeia alguém para lhe construir uma morada e depois se afasta. Ele instrui que esta seja construída em um local aprovado, onde nenhum mal será feito, e dispondo de espaço suficiente ao seu redor, mas esta é construída num local não aprovado, onde mal será feito, e não dispondo de espaço suficiente ao seu redor. Se isto chega ao conhecimento do bhikkhu, ele deve ir até o local ele mesmo ou enviar uma mensagem, e ele deve instruir que esta seja construída num local aprovado, onde nenhum mal será feito, e dispondo de espaço suficiente ao seu redor. Se ele não vai ou nem mesmo envia uma mensagem, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão.

Um bhikkhu nomeia alguém para lhe construir uma morada e depois se afasta. Ele instrui que esta seja construída em um local aprovado, onde nenhum mal será feito, e dispondo de espaço suficiente ao seu redor, mas esta é construída num local não aprovado, onde mal será feito, e não dispondo de espaço suficiente ao seu redor. Se isto chega ao conhecimento do bhikkhu, ele deve ir até o local ele mesmo ou enviar uma mensagem, e ele deve instruir que esta seja construída num local aprovado, onde nenhum mal será feito, e dispondo de espaço suficiente ao seu redor. … E ste parágrafo é expandido como no Bu-Ss.6.3.9. … onde nenhum mal será feito. … qdispondo de espaço suficiente ao seu redor. … não há ofensa.

As ofensas dos construtores nomeados

Um bhikkhu nomeia alguém para lhe construir uma morada e depois se afasta. Ele instrui que esta seja construída em um local aprovado, onde nenhum mal será feito, e dispondo de espaço suficiente ao seu redor. Se a morada é construída num local não aprovado, onde mal será feito, e não dispondo de espaço suficiente ao seu redor, os construtores cometem três ofensas dukkata, de transgressão. … onde mal será feito, mas dispondo de espaço suficiente ao seu redor, os construtores cometem duas ofensas dukkata, de transgressão. … onde nenhum mal será feito, mas não dispondo de espaço suficiente ao seu redor, os construtores cometem duas ofensas dukkata, de transgressão. … onde nenhum mal será feito e dispondo de espaço suficiente ao seu redor, os construtores cometem uma ofensa dukkata, de transgressão.

Um bhikkhu nomeia alguém para lhe construir uma morada e depois se afasta. Ele instrui que esta seja construída em um local aprovado, onde nenhum mal será feito, e dispondo de espaço suficiente ao seu redor. Se a morada é construída num local aprovado, onde mal será feito, e não dispondo de espaço suficiente ao seu redor, os construtores cometem duas ofensas dukkata, de transgressão. … onde mal será feito, mas dispondo de espaço suficiente ao seu redor, os construtores cometem uma ofensa dukkata, de transgressão. … onde nenhum mal será feito, mas não dispondo de espaço suficiente ao seu redor, os construtores cometem uma ofensa dukkata, de transgressão. … onde nenhum mal será feito e dispondo de espaço suficiente ao seu redor, não há ofensa.

Uma morada inacabada quando do seu retorno

Um bhikkhu nomeia alguém para lhe construir uma morada e depois se afasta. Ela é construída num local não aprovado, onde mal será feito, e não dispondo de espaço suficiente ao seu redor. Se a morada se encontra inacabada quando do seu retorno, esta deve ser dada para outrem, ou deve ser demolida e reconstruída. Se ele não dá a morada para outra pessoa, ou não a demole e reconstrói, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão, e duas ofensas dukkata, de transgressão. … onde mal será feito, mas dispondo de espaço suficiente ao seu redor. Se a morada se encontra inacabada quando do seu retorno, esta deve ser dada para outrem, ou deve ser demolida e reconstruída. Se ele não dá a morada para outra pessoa, ou não a demole e reconstrói, ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão, e uma ofensa dukkata, de transgressão. … onde nenhum mal será feito, mas não dispondo de espaço suficiente ao seu redor. … ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão, e uma ofensa dukkata, de transgressão. … onde nenhum mal será feito e dispondo de espaço suficiente ao seu redor. … ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão.

Um bhikkhu nomeia alguém para lhe construir uma morada e depois se afasta. Ela é construída num local aprovado, onde mal será feito, e não dispondo de espaço suficiente ao seu redor. Se a morada se encontra inacabada quando do seu retorno, esta deve ser dada para outrem, ou deve ser demolida e reconstruída. Se ele não dá a morada para outra pessoa, ou não a demole e reconstrói, ele comete duas ofensas dukkata, de transgressão. … onde mal será feito, mas dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão. … onde nenhum mal será feito, mas não dispondo de espaço suficiente ao seu redor, ele comete uma ofensa dukkata, de transgressão. … onde nenhum mal será feito e dispondo de espaço suficiente ao seu redor, não há ofensa.

Permutações parte 2

Se ele terminar o que ele mesmo começou (não atendendo quaisquer ou todos os requisitos acima descritos), ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão.

Se ele conseguir outro para terminar o que ele mesmo começou (não atendendo quaisquer ou todos os requisitos acima descritos), ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão.

Se ele termina o que foi começado por outros (não atendendo quaisquer ou todos os requisitos acima descritos), ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão.

Se ele conseguir outro para terminar o que foi começado por outros (não atendendo quaisquer ou todos os requisitos acima descritos), ele comete uma ofensa sanghadisesa, séria e que envolve a suspensão.

Quando não é uma ofensa

Não há ofensa quando: se constrói um abrigo situado numa saliência duma rocha; se constrói uma morada numa caverna; se constrói uma morada de palha; se constrói para um terceiro; se constrói algo além de uma habitação; o indivíduo se encontra louco; ele é o primeiro a cometer a ofensa.

A sétima regra de treinamento sanghadisesa, sobre a construção de moradas, se encerra aqui.