Saṃyutta Nikāya 1.25

Arahant Sutta

Arahant

Um deva:

“Se um bhikkhu é um arahant,
perfeito, com as impurezas destruídas,
alguém que possui o seu último corpo,
ele ainda assim diria, ‘Eu falo’?
e ele diria, ‘Eles falam comigo’?”

O Abençoado:

“Quando um bhikkhu é um arahant,
perfeito, com as impurezas destruídas,
alguém que possui o seu último corpo,
ele poderá dizer, ‘Eu falo.’
e ele poderá dizer, ‘Eles falam comigo.’
Hábil, compreendendo a linguagem de uso corrente no mundo,
ele emprega esses termos como meras expressões.”

Deva:

“Quando um bhikkhu é um arahant,
perfeito, com as impurezas destruídas,
alguém que possui o seu último corpo,
é porque ele se encontrou com a presunção
que ele diria, ‘Eu falo,’
que ele diria, ‘Eles falam comigo’?”

O Abençoado:

“Aquele que abandonou por completo
a cadeia de ilusões com relação ao eu,
esses vínculos foram dispersos, não existem mais.
Rico em sabedoria, ele escapou para mais além
das concepções e suposições da mente errante.
Ele ainda poderá dizer, ‘Eu falo,’
ele também poderá dizer, ‘Eles falam comigo.’
Hábil, compreendendo a linguagem de uso corrente no mundo,
ele emprega esses termos como meras expressões.”