Saṃyutta Nikāya 11.18

Gahatthavandana Sutta

A Veneração dos Chefes de Família (ou a Veneração de Sakka)

Em Savatthi. Lá, o Abençoado disse o seguinte: “Bhikkhus, certa vez no passado, Sakka, o senhor dos devas, se dirigiu ao seu cocheiro Matali da seguinte forma:

‘Arreie a carruagem com os mil puro-sangues, amigo Matali. Vamos para o parque para desfrutar de uma bela paisagem.’—‘Sim, senhor,’ Matali o cocheiro respondeu. Então, ele arreou a carruagem com os mil puro-sangues e anunciou para Sakka, o senhor dos devas: ‘A carruagem foi arreada, estimado senhor. Você poderá vir quando for conveniente.’

“Então, bhikkhus, Sakka, o senhor dos devas, descendo do Palácio Vejayanta, levantou as mãos juntas em uma saudação respeitosa e venerou os diferentes quadrantes. Então, Matali o cocheiro se dirigiu a Sakka em versos:

“‘Todos eles com humildade o veneram—
aqueles versados nos Três Vedas,
todos os khattiyas que governam na terra,
os Quatro Grandes Reis e os gloriosos Trinta—
então quem, Oh Sakka, é esse espírito
para quem você se curva em veneração?”

Sakka:

“‘Todos eles com humildade me veneram—
aqueles versados nos Três Vedas,
todos os khattiyas que governam na terra,
os Quatro Grandes Reis e os gloriosos Trinta—
mas eu venero aqueles dotados de virtude,
aqueles que muito treinaram na concentração,
aqueles que corretamente deixaram a vida em família
tendo a vida santa como destino.

“‘Eu também venero, Oh Matali,
aqueles chefes de família que realizam méritos,
os discípulos leigos dotados de virtude
que com honradez mantêm uma esposa.’

Matali:

“‘Aqueles que você venera, meu senhor Sakka,
são de fato os melhores no mundo.
Eu também os venero—
aqueles que você venera, Vasava.’

O Abençoado:

“Depois de dar essa explicação,
depois de venerar os diferentes quadrantes,
o rei deva Maghava, esposo de Suja,
o chefe, subiu na sua carruagem.”