Saṃyutta Nikāya 44.8

Vacchagotta Sutta

Vacchagotta

Então o errante Vacchagotta foi até o Abençoado e ambos se cumprimentaram. Quando a conversa cortês e amigável havia terminado, ele sentou a um lado e disse:

“Como é, Mestre Gotama, o mundo é eterno’?”

“Vaccha, eu não declarei isso: o mundo é eterno.”

“Nesse caso, o mundo não é eterno?”

“Vaccha, eu não declarei isso: o mundo não é eterno.”

“Nesse caso, o mundo é finito?”

“Vaccha, eu não declarei isso: o mundo é finito.”

“Nesse caso, o mundo é infinito?”

“Vaccha, eu não declarei isso: o mundo é infinito.”

“Nesse caso, a alma e o corpo são a mesma coisa?”

“Vaccha, eu não declarei isso: a alma e o corpo são a mesma coisa.”

“Nesse caso, a alma é uma coisa e o corpo outra?”

“Vaccha, eu não declarei isso: a alma é uma coisa e o corpo outra.”

“Nesse caso, após a morte um Tathagata existe?”

“Vaccha, eu não declarei isso: após a morte um Tathagata existe.”

“Nesse caso, após a morte um Tathagata não existe’?”

“Vaccha, eu não declarei isso: após a morte um Tathagata não existe.”

“Nesse caso, após a morte um Tathagata tanto existe como não existe?”

“Vaccha, eu não declarei isso: após a morte um Tathagata tanto existe como não existe.”

“Nesse caso, após a morte um Tathagata nem existe nem não existe?”

“Vaccha, eu não declarei isso: após a morte um Tathagata nem existe nem não existe.”

“Mestre Gotama, qual é a causa e razão pela qual, quando os contemplativos de outras seitas são assim questionados, eles dão respostas como: ‘o mundo é eterno’ … ‘após a morte um Tathagata nem existe nem não existe’. Qual é a causa e razão pela qual, quando o Mestre Gotama é assim questionado ele não dá esse tipo de resposta?

Vaccha, os errantes de outras seitas consideraram que a forma é o eu, ou o eu possuído de forma, … ou a forma como estando no eu, … ou o eu como estando na forma. Eles consideram que a sensação é o eu, ou o eu possuído de sensação, … ou a sensação como estando no eu, … ou o eu como estando na sensação. Eles consideram que a percepção seja o eu, ou o eu possuído de percepção, … ou a percepção como estando no eu, … ou o eu como estando na percepção. Eles consideram que as formações sejam o eu, ou o eu possuído de formações, … ou as formações como estando no eu, … ou o eu como estando nas formações. Eles consideram que a consciência seja o eu, ou o eu possuído de consciência, … ou a consciência como estando no eu, … ou o eu como estando na consciência. Portanto, quando são assim questionados, eles dão respostas como: ‘o mundo é eterno’ … ‘após a morte um Tathagata nem existe nem não existe’. Mas Vaccha, o Tathagata, um arahant perfeitamente iluminado não considera que a forma é o eu … ou o eu como estando na consciência. Por conseguinte, quando o Tathagata é assim questionado ele não dá esse tipo de resposta.”