Saṃyutta Nikāya 56.31

Simsapa Sutta

As Folhas de Simsapa

Certa ocasião, o Abençoado estava em Kosambi numa floresta de Simsapa. Então, o Abençoado pegou algumas folhas de simsapa com a mão e perguntou aos Bhikkhus: “ O que vocês pensam, bhikkhus: o que é mais numeroso, as poucas folhas de Simsapa que peguei com a minha mão ou aquelas acima de nossas cabeças na floresta de Simsapa?”

“Venerável senhor, as folhas que o Abençoado pegou com a mão são poucas, mas aquelas sobre as nossas cabeças na floresta são numerosas.”

“Assim também, bhikkhus, as coisas que aprendi através do conhecimento direto, e que não ensinei são numerosas, enquanto as coisas que ensinei para vocês são poucas. E porque, bhikkhus, não ensinei essas muitas coisas? Porque elas não trazem benefícios, são irrelevantes para os fundamentos da vida santa e não conduzem ao desencantamento, ao desapego, à cessação, à paz, ao conhecimento direto, à iluminação, a Nibbana. Por conseguinte, eu não as ensinei.

“E o que, bhikkhus, eu ensinei? ‘ Isto é sofrimento … Esta é a origem do sofrimento … Esta é a cessação do sofrimento … Esse é o caminho que conduz à cessação do sofrimento’: Isso foi o que ensinei. E porque, bhikkhus, ensinei isso? Porque isso traz benefícios, é relevante para os fundamentos da vida santa e conduz ao desencantamento, ao desapego, à cessação, à paz, ao conhecimento direto, à iluminação, a Nibbana. Por conseguinte, eu ensinei isso.

“Portanto, bhikkhus, um esforço deve ser feito para compreender: ‘Isto é sofrimento.’ Um esforço deve ser feito para compreender: ‘Esta é a origem do sofrimento.’ Um esforço deve ser feito para compreender: ‘Esta é a cessação do sofrimento.’ Um esforço deve ser feito para compreender: ‘Este é o caminho que conduz à cessação do sofrimento.’”