Saṃyutta Nikāya 9.11

Akusalavitakka Sutta

Pensamentos Inábeis

Em certa ocasião, um certo bhikkhu estava entre os Kosalas numa certa floresta. Agora, naquela ocasião, enquanto aquele bhikkhu estava no seu retiro diário, ele não conseguia deixar de pensar pensamentos inábeis, isto é, pensamentos de sensualidade, de má vontade e de crueldade.

Então, uma devata que habitava aquela floresta, sentindo compaixão por aquele bhikkhu, desejando o bem dele, desejando estimular nele um senso de urgência, foi até onde ele estava e recitou os seguintes versos:

“Devido à negligência,
você, senhor, está sendo devorado pelos seus pensamentos.
Tendo abandonado o caminho descuidado,
você deve aplicar a atenção com sabedoria.

“Ao basear os seus pensamentos no Mestre,
no Dhamma, na Sangha e nas suas próprias virtudes,
com certeza você obterá satisfação,
e êxtase e felicidade também.
então, quando estiver imerso na felicidade,
você dará um fim ao sofrimento.”

Então, aquele bhikkhu, estimulado por aquela devata, adquiriu um senso de urgência.