Sutta Nipāta 1.6

Parabhava Sutta

Ruína

Assim ouvi. Em certa ocasião o Abençoado estava em Savatthi no Bosque de Jeta, no Parque de Anathapindika. Então, quando a noite estava bem avançada, uma certa devata com belíssima aparência que iluminou todo o Bosque de Jeta, se aproximou do Abençoado. Ao se aproximar ela homenageou o Abençoado e ficando em pé a um lado a devata disse:

“Nós lhe perguntamos Gotama, sobre o declínio do homem. Qual é a causa para a ruína?”

O Buda:

“É fácil de distinguir aquele que progride, fácil de distinguir aquele que declina. Aquele que ama o Dhamma progride; aquele que é adverso ao Dhamma, declina.”

A devata:

“Nós entendemos isso tal como foi explicado; essa é a primeira causa para a ruína. Diga, Abençoado, qual é a segunda causa para a ruína?”

O Buda:

“Os depravados são amados por ele, ele não gosta dos virtuosos; ele aprova os ensinamentos dos depravados—essa é uma causa para a sua ruína.

“Ele gosta de dormir, aprecia as companhias, indolente, preguiçoso e irritadiço—essa é uma causa para a sua ruína.

“Embora sendo opulento, ele não sustenta pai e mãe que são idosos e deixaram para trás o vigor da juventude—essa é uma causa para a sua ruína.

“Ele engana com a mentira um brâmane ou contemplativo ou qualquer outro mendicante—essa é uma causa para a sua ruína.

“Ele tem muita riqueza, muito ouro e comida, mas desfruta disso tudo sozinho—essa é uma causa para a sua ruína.

“Ele tem orgulho do seu nascimento, da sua riqueza ou seu clã, e despreza os próprios parentes—essa é uma causa para a sua ruína.

“Ele é um devasso, um bêbado, um jogador, que desperdiça tudo que ganha—essa é uma causa para a sua ruína.

“Ele não está satisfeito com as esposas que tem, e ele é visto entre prostitutas e as mulheres dos outros—essa é uma causa para a sua ruína.

“Tendo deixado para trás a juventude, ele toma como esposa uma jovem adolescente e é incapaz de dormir devido ao ciúme—essa é uma causa para a sua ruína.

“Ele coloca numa posição de autoridade uma mulher que tem o hábito da bebida e do desperdício, um homem com comportamento semelhante—essa é uma causa para a sua ruína.

“Ele nasce um nobre, com muita ambição mas parcos recursos, e ambiciona governar—essa é uma causa para a sua ruína.

“Compreendendo bem essas causas para a ruína no mundo, o nobre sábio dotado com o insight, desfruta da bem-aventurança.