Udāna 2.7

Ekaputta

Único Filho

Assim ouvi. Certa ocasião, o Abençoado estava em Savatthi, no Bosque de Jeta, no Parque de Anathapindika. Agora, naquela ocasião, o único filho amado e querido de um certo discípulo leigo havia morrido. Então um número de discípulos leigos com as roupas e cabelos molhados foram até o Abençoado no meio do dia e depois de cumprimentá-lo eles sentaram a um lado. Estando ali sentados o Abençoado disse:

“Por que vocês vieram aqui no meio do dia com as roupas e os cabelos molhados?”

Quando isso foi dito um dos discípulos leigos respondeu para o Abençoado: “Meu único filho amado e querido, venerável senhor, morreu. Por isso viemos até aqui no meio do dia com as roupas e os cabelos molhados.”

Então, dando-se conta do significado disso, o Abençoado nessa ocasião exclamou:

Devas e a maioria dos seres humanos de fato são prisioneiros
daquilo que consideram como queridos e prazerosos.
Exauridos pela dor (quando as pessoas queridas morrem),
eles se entregam ao poder do Senhor da Morte.
Mas aqueles que permanecem diligentes dia e noite,
que abandonam tudo que é querido—
o engodo da morte difícil de ser vencido—
eliminam a raiz da dor.