Udāna 3.3

Sobre Yasoja

Assim ouvi. Em certa ocasião o Abençoado estava em Savatthi no Bosque de Jeta, no Parque de Anathapindika.

Agora, naquela ocasião quinhentos bhikkhus liderados pelo venerável Yasoja vieram até Savatthi para ver o Abençoado. Enquanto os bhikkhus visitantes estavam cumprimentando os bhikkhus residentes, estavam preparando os lugares para descanso, guardando as suas tigelas e mantos externos, eles faziam muito ruído e barulho.

Então o Abençoado se dirigiu ao venerável Ānanda assim: “Ānanda, quem são essas pessoas ruidosas e barulhentas? Alguém poderia pensar que eles são pescadores apregoando peixes.”

“Venerável senhor, eles são os quinhentos bhikkhus liderados pelo venerável Yasoja que vieram até Savatthi para ver o Abençoado. Conforme os bhikkhus visitantes cumprimentam os bhikkhus residentes, preparam os lugares para descanso, guardam as suas tigelas e mantos externos, eles fazem muito ruído e barulho.

“Então, Ānanda, diga a esses bhikkhus em meu nome que o Mestre os chama.”

“Sim, venerável senhor,” ele respondeu e foi até aqueles bhikkhus e lhes disse: “Veneráveis, o Mestre os chama.”

“Sim, amigo,” eles responderam e foram até o Abençoado e depois de cumprimentá-lo sentaram a um lado. Estando sentados o Abençoado lhes perguntou: “Bhikkhus porque vocês são tão ruidosos e barulhentos? Alguém poderia pensar que vocês são pescadores apregoando peixes.”

Quando isto foi dito, o venerável Yasoja disse ao Abençoado:

“Venerável senhor, estes quinhentos bhikkhus vieram até Savatthi para ver o Abençoado. E foi enquanto eles cumprimentavam os bhikkhus residentes, preparavam os lugares para descanso, guardavam as suas tigelas e mantos externos, que fizeram muito ruído e barulho.”

“Vão, bhikkhus, eu os dispenso. Vocês não podem estar comigo.”

“Sim, venerável senhor,” eles responderam e se levantaram dos seus assentos e depois de homenagear o Abençoado, mantendo-o à sua direita, guardaram as coisas nos seus devidos lugares e tomando suas a tigelas e mantos externos, partiram em direção ao território Vajji. Enquanto caminhavam em etapas por através do território Vajji eles foram até o rio Vaggumuda, e após se dirigirem à margem do rio fizeram cabanas de palha, e então entraram no retiro das chuvas.

Então, o venerável Yasoja, tendo entrado no retiro das chvas, disse para os bhikkhus: “Amigos, fomos dispensados pelo Abençoado, que deseja o melhor para nós e nosso bem-estar, é e age por compaixão. Vamos então viver de tal maneira que o Abençoado se gratifique pelo nosso modo de vida.”

“Sim, amigo,” responderam aqueles bhikkhus ao venerável Yasoja. Então, durante o retiro das chuvas, enquanto viviam aquele bhikkhus isolados, diligentes, ardentes e decididos, realizaram os três conhecimentos verdadeiros: o conhecimento das vidas passadas, o conhecimento sobre como o karma determina o processo de renascimento e o conhecimento da destruição das impurezas mentais.

Então, tendo permanecido em Savatthi pelo tempo desejado, o Abençoado saiu perambulando em direção a Vesali. Caminhando em etapas ele por fim chegou em Vesali, estabelecendo-se no Salão Pontiagudo, na Grande Floresta.

Então, abrangendo com a sua mente a mente dos bhikkhus que se encontravam à margem do rio Vaggamudā, o Abençoado disse ao venerável Ānanda:

“Esta direção parece luminosa para mim, Ānanda. Esta direção parece deslumbrante para mim. Não me causa repugnância direcionar e manter minha atenção na direção dos bhikkhus que se encontram instalados à margem do rio Vaggamudā. Envie um mensageiro até esses bhikkhus dizer: “O Mestre os chama, amigos. O Meste quer vê-los.”

O venerável Ānanda então respondeu, “Sim, venerável senhor.”, foi até um certo bhikkhu e disse: “Venha agora, amigo. Vá até os bhikkhus que se encontram à margem do rio Vaggamudā e diga-lhes: “O Mestre os chama, amigos. O Mestre deseja vê-los.”

Então, após responder “Sim, amigo.” ao venerável Ānanda o bhikkhu—como um homem forte que estende seu braço que está flexionado ou flexiona o braço que está estendido—desapareceu do Salão Pontiagudo, na Grande Floresta, e apareceu em frente aos bhikkhus instalados à margem do rio Vaggamudā. Então ele lhes disse: “O Mestre os chama, amigos. O Meste quer vê-los.”

Eles responderam “Sim, amigo” e em seguida colocaram em ordem seus alojamentos, tomaram os mantos e tigelas, e desapareceram da margem do rio Vaggamudā—como um homem forte que estende seu braço que está flexionado ou flexiona o braço que está estendido—e apareceram na presença do Abençoado no no Salão Pontiagudo, na Grande Flores.

Agora, naquele momento, o Abençoado se encontrava sentado imerso na concentração imperturbável. Então, o pensamento ocorreu aos bhikkhus: “Qual morada da mente o Abençoado está agora residindo?” E então eles realizaram, “Ele se encontra numa morada imperturbável.” Após isto, todos eles se sentaram e imergiram também na concentração imperturbável.

Então o Ven. Ānanda – quando a noite já havia avançado, ao final da primeira vigília – levantou-se do seu assento, arrumou o seu manto sobre um ombro, ficou em pé de frente para o Abençoado com as mãos postas sobre o seu coração e lhe disse: “A noite, venerável senhor, já avançou bastante. A primeira vigília terminou. Estes bhikkhus visitantes estão sentados aqui há tempo. Que o Abençoado lhes cumprimente.” Quando isso foi dito o Abençoado permaneceu em silêncio.

Em seguida, uma segunda vez, o Ven. Ānanda – quando a noite já havia avançado, ao final da segunda vigília – levantou-se do seu assento, arrumou o seu manto sobre um ombro, ficou em pé de frente para o Abençoado com as mãos postas sobre o seu coração e lhe disse: “A noite, venerável senhor, já avançou bastante. A segunda vigília terminou. Estes bhikkhus visitantes estão sentados aqui há tempo. Que o Abençoado lhes cumprimente.” Quando isso foi dito o Abençoado permaneceu em silêncio.

Em seguida, uma terceira vez, o Ven. Ānanda – quando a noite já havia avançado, ao final da terceira vigília – levantou-se do seu assento, arrumou o seu manto sobre um ombro, ficou em pé de frente para o Abençoado com as mãos postas sobre o seu coração e lhe disse: “A noite, venerável senhor, já avançou bastante. A terceira e última vigília terminou. O amanhecer está surgindo e a noite desaparecendo. Estes bhikkhus visitantes estão sentados aqui há tempo. Que o Abençoado lhes cumprimente.”

Então, o Abençoado, emergindo da concentração imperturbável, disse ao Ven. Ānanda:

“Ānanda, se você soubesse, não teria dito o que disse sobre estes bhikkhus. E e todos estes quinhentos bhikkhus, Ānanda, estávamos todos imersos na concentração imperturbável.”

Então, dando-se conta do significado disso, o Abençoado nessa ocasião exclamou:

“O bhikkhu que venceu os espinhos dos desejos sensuais,
do insulto, da agressão e do aprisionamento:
Tal como uma montanha firme e imperturbável,
Ele não se agita diante do prazer e da dor.”