Udāna 4.6

Sobre Pindola

Assim ouvi. Em certa ocasião o Abençoado estava em Savathi, no Bosque de Jeta, no Parque de Anathapindika.

Agora, naquela ocasião o venerável Pindola Bharadvaja estava sentado não muito distante do Abençoado, com as pernas cruzadas e mantendo o corpo ereto. Pindola vivia na floresta, se alimentava de comida esmolada, vestia mantos feitos com trapos, se restringia a possuir não mais que três mantos, era modesto, contente, recluso, desapegado e desatado, esforçado e com a mente dotada de energia, defensor do ascetismo e dedicado à concentração da mente.

O Abençoado então viu o venerável Pindola Bharadvaja sentado não muito distante, com as pernas cruzadas e mantendo o corpo ereto, um exemplo daqueles que vivem na floresta, se alimentam de comida esmolada, vestem mantos feitos com trapos, se restringem a possuir não mais que três mantos, modesto, contente, recluso, desapegado e desatado, esforçado e com a mente dotada de energia, defensor do ascetismo e dedicado à concentração da mente.

Então, dando-se conta do significado disso, o Abençoado nessa ocasião exclamou:

“Não buscar defeitos, nem causar dano,
conter-se pelo patimokkha,
tendo moderação na alimentação,
reclusão,
dedicação à mente superior:
esse é o ensinamento do Buda.”