Udāna 4.9

Sobre Upasena Vangataputta

Assim ouvi. Em certa ocasião, o Abençoado estava em Rajagaha, no Bambual, no Santuário dos Esquilos.

Agora, naquela ocasião o venerável Upasena Vangantaputta se encontrava retirado, em reclusão, e a seguinte pensamento lhe ocorreu:

“Que vantagem, que verdadeira vantagem é o fato de que o meu mestre é o Abençoado, um arahant, perfeitamente iluminado; de que eu abandonei a vida em família por um Dhamma e Vinaya bem ensinado; de que meus companheiros de vida santa são virtuosos e dotados de qualidades admiráveis; de que eu alcancei o ápice dos preceitos; de que minha mente é unificada e bem concentrada; de que eu seja um arahant, cujas impurezas foram destruídas; de que eu tenho vários poderes supra-humanos e grande autoridade. Feliz é a minha vida, feliz será a minha morte.”

Então, conhecendo com sua mente o pensamento que ocorreu ao venerável Upasena Vangantaputta, o Abençoado nessa ocasião exclamou:

“Aquele que não há do que se arrepender
com relação à vida ou com relação à morte,
Se de fato iluminado,
tendo conhecido o estado pacífico,
Ele não sofre quando diante da lamentação.

Pois naquele que destruiu a sede pela existência
—um bhikkhu cuja mente foi pacíficada—
tanto o nascimento quanto a perambulação
foram totalmente erradicados,
O ciclo de renascimentos encerrado.”