Udāna 6.6

Tittha (tatiya)

Sectários

Assim ouvi. Em certa ocasião o Abençoado estava em Savatthi no Bosque de Jeta, no Parque de Anathapindika. Agora naquela ocasião havia em Savatthi vários brâmanes, contemplativos e errantes de várias seitas com distintas idéias, distintas opiniões, distintas crenças e eles dependiam das suas distintas idéias para o seu sustento. Alguns contemplativos e brâmanes tinham este entendimento, esta doutrina: “O eu e o mundo são eternos. Somente isso é verdadeiro; todo o restante é falso.”

Alguns contemplativos e brâmanes tinham este entendimento, esta doutrina: “O eu e o mundo não são eternos” … “O eu e o mundo são ambos eternos e não eternos” … “O eu e o mundo não são nem eternos e tampouco não eternos” … “O eu e o mundo são produzidos por si mesmo” … “O eu e o mundo são produzidos pelos outros” … “O eu e o mundo são ambos produzidos por si mesmo e pelos outros” … “O eu e o mundo não são nem produzidos por si mesmo e tampouco pelos outros, mas surgem sem uma causa”.

“O prazer e a dor, o eu e o mundo, são produzidos por si mesmo, … pelos outros … ambos produzidos por si mesmo e pelos outros … não são nem produzidos por si mesmo e tampouco pelos outros, mas surgem sem uma causa. Somente isso é verdadeiro; todo o restante é falso.”

E eles estavam assim envolvidos em rixas e brigas, mergulhados em discussões, apunhalando uns aos outros usando as palavras como adagas, dizendo, “O Dhamma é assim, não assado. O Dhamma não é assado, é assim.”

Então, ao amanhecer, um grande número de bhikkhus se vestiram e tomando a tigela e o manto externo, foram para Savatthi para esmolar alimentos. Depois de haver esmolado em Savatthi e de haver retornado, após a refeição eles foram até o Abençoado e depois de cumprimentá-lo sentaram a um lado e disseram: “Venerável senhor, há em Savatthi vários brâmanes, contemplativos e errantes de várias seitas com distintas idéias, distintas opiniões, distintas crenças e eles dependem das suas distintas idéias para o seu sustento … e eles estão envolvidos em rixas e brigas, mergulhados em discussões, apunhalando uns aos outros usando as palavras como adagas, dizendo, ‘O Dhamma é assim, não assado. O Dhamma não é assado, é assim.’”

“Bhikkhus, os errantes de outras seitas são cegos e sem visão. Eles não compreendem aquilo que é benéfico e aquilo que é prejudicial. Eles não entendem o que é o Dhamma e o que é o não-Dhamma. Sem compreender aquilo que é benéfico e aquilo que é prejudicial, sem entender o que é o Dhamma e o que é o não-Dhamma, eles permanecem envolvidos em rixas e brigas, mergulhados em discussões, apunhalando uns aos outros usando as palavras como adagas, dizendo, ‘O Dhamma é assim, não assado. O Dhamma não é assado, é assim.’”

Então, dando-se conta do significado disso, o Abençoado nessa ocasião exclamou:

A humanidade está apegada à produção por si mesmo
ou à produção pelos outros.
Aqueles que não compreendem isso
não vêm isso como uma flecha.
Mas alguém que vê como na verdade é,
tendo removido a flecha,
não pensa ‘eu sou o agente,’
tampouco pensa ‘o outro é o agente.’
A humanidade está tomada pela presunção,
agrilhoada pela presunção, atada pela presunção.
Enraivecidos defendendo as suas idéias,
não há como superar o samsara.