Udāna 6.9

Precipitando-se como insetos

Assim ouvi. Em certa ocasião o Abençoado estava em Savatthi no Bosque de Jeta, no Parque de Anathapindika.

Agora, naquela ocasião, a noite era bastante escura e o Abençoado se encontrava sentado ao céu aberto enquanto lamparinas queimavam na dependência do óleo. E também naquela ocasião um grande número de insetos alados, mariposas, voavam ao redor e caíam nessas lamparinas, encontrando assim desgraça, ruína, ambas desgraça e ruína. E o Buda viu um grande número de insetos alados, mariposas, voavam ao redor e caíam nessas lamparinas, encontrando assim desgraça, ruína, ambas desgraça e ruína.

Então, dando-se conta do significado disso, o Abençoado nessa ocasião exclamou:

“Aqueles empenhados pelo que é visto,
ou pelo que é ouvido,
precipitam-se de cabeça,
omitindo o que é essencial
um a um, eles fazem com que novos elos surjam
um a um, eles caem como insetos em direção à chama.”